Internacionais

Polícia do Capitólio dos EUA foi sobrecarregada por invasores, diz chefe interina

Reuters
Reuters
Polícia do Capitólio dos EUA foi sobrecarregada por invasores, diz chefe interina
Apoiadores de Donald Trump durante ataque ao Capitólio em janeiro de 2021

25 de fevereiro de 2021 - 11:13 - Atualizado em 25 de fevereiro de 2021 - 11:16

(Reuters) – A polícia do Capitólio dos Estados Unidos estava ciente da possibilidade de violência de extremistas quando o local foi atacado por apoiadores do ex-presidente Donald Trump, mas foi sobrecarregado rapidamente pelos invasores, disse a chefe interina da polícia do Parlamento norte-americano.

A inteligência coletada antes do ataque de 6 de janeiro levava a crer que a reunião teria a participação de “milicianos (armados), supremacistas brancos e outros grupos extremistas”, disse Yogananda Pittman em um depoimento a ser feito nesta quinta-feira ao Comitê Orçamentário da Câmara dos Deputados.

Pittman era chefe de polícia assistente de Operações de Proteção e Inteligência do departamento no dia 6 de janeiro e disse que era responsável por sua Divisão de Inteligência e de Coordenação Interagências (IICD).

Apoiadores de Trump viram a data como a última oportunidade de reverter os resultados da eleição presidencial, e sua sensação de desespero e decepção “pode levar a uma espécie de incentivo para se tornar violento”, disse o IICD em uma avaliação emitida em 3 de janeiro, de acordo com Pittman.

“Embora o departamento estivesse preparado para neutralizar e retirar indivíduos ou grupos praticando desobediência civil ou violência entre os manifestantes, foi sobrepujado rapidamente por milhares de insurretos (muitos armados) que imediatamente e sem provocação começaram a atacar agentes, contornando barreiras físicas e se recusando a obedecer ordens legais”, acrescentou Pittman.

Mais de 200 pessoas já foram acusadas por seus papeis no ataque ao Capitólio, inclusive algumas com laços com grupos de extrema-direita, como Oath Keepers e Proud Boys.

(Por Kanishka Singh em Bengaluru)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759)) REUTERS ES

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH1O11F-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.