Internacionais

Oito jogadores da Venezuela estão com Covid em véspera de estreia da Copa América

Reuters
Reuters
Oito jogadores da Venezuela estão com Covid em véspera de estreia da Copa América
.

12 de junho de 2021 - 19:31 - Atualizado em 12 de junho de 2021 - 19:35

Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) – Oito jogadores da seleção de futebol da Venezuela testaram positivo para Covid-19, informou o Ministério da Saúde neste sábado, véspera da estreia da equipe venezuelana na Copa América contra o Brasil, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Além deles, de três a cinco membros da comissão técnica da equipe venezuelana também estariam com o coronavírus, .

De acordo com a Federação Venezuelana de Futebol (FVF), foram 11 resultados positivos na delegação, sendo oito jogadores. Já a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) disse que são 13 positivos no total, sem mencionar quantos seriam atletas, e o Ministério da Saúde mencionou 12 casos, sendo oito jogadores e quatro membros da comissão.

“Eles (infectados) estão isolados no hotel, bem como os que tiveram contato com esses integrantes da comissão técnica e os jogadores da equipe da Venezuela”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em entrevista coletiva.

Mais cedo, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal, a primeira a informar 12 infectados na equipe venezuelana, disse que os integrantes da delegação que testaram positivo estão assintomáticos e isolados em quartos de hotel individuais.

Venezuela e Brasil, atual campeão do torneio, farão a partida de abertura da Copa América no domingo.

O chefe da comissão médica da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Jorge Pagura, disse que a Conmebol mudou as regras do torneio após os casos na seleção da Venezuela para permitir a convocação de outros atletas, que poderão entrar no Brasil após testarem negativo em um exame RT-PCR para Covid.

A FVF informou que convocará mais 16 jogadores para se juntarem à equipe que disputará a Copa América no Brasil.

Pagura disse ainda que recebeu a informação de que também houve testes positivos na delegação da Bolívia, mas afirmou que eles ocorreram em testes de antígeno e que os organizadores da competição consideram válidos apenas os testes do tipo RT-PCR –que ele chamou de “padrão-ouro”. Ele disse que ainda aguarda os resultados dos exames RT-PCR feitos com a equipe boliviana.

“Da Bolívia nós só trabalhamos com os nossos testes, dos nossos laboratórios credenciados, o RT-PCR, e fazemos a comunicação quando chegam os dados oficiais. Não aceitamos testes paralelos ou de antígeno, só vale aquilo que a comissão determinou, de acordo com o que acertamos com o Ministério da Saúde”, afirmou Pagura.

“Essa notícia que realmente chegou é em relação ao antígeno, mas na hora que a gente tiver o resultado do RT-PCR, que é o padrão-ouro, aí sim a gente divulga oficialmente”, acrescentou.

Torneio mais antigo do futebol entre seleções, a Copa América, que terá a participação de 10 selecionados sul-americanos, foi transferida para o Brasil nas últimas semanas, após a Colômbia desistir de sediá-lo por causa de tensões sociais e de a Argentina, que cosediaria a competição com os colombianos, anunciar que não a abrigaria por causa da Covid-19.

O Brasil decidiu ser o anfitrião do torneio, apesar da pandemia, que já matou mais de 484 mil pessoas no país, que tem o segundo maior número de mortes causadas pela doença no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. Na sexta-feira o país registrou 2.216 mortes por Covid-19.

A Copa América será realizada até 10 de julho.

(Reportagem adicional de Andrew Downie)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH5B0AC-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.