Internacionais

Nova Zelândia apura “provável” primeiro caso em meses de Covid-19 sem saber fonte da contágio

Reuters
Reuters

24 de janeiro de 2021 - 13:14 - Atualizado em 24 de janeiro de 2021 - 13:14

Por Praveen Menon

WELLINGTON (Reuters) – Autoridades de saúde da Nova Zelândia disseram neste domingo que estavam investigando o que disseram ser provavelmente o primeiro caso de coronavírus do país sem saber a fonte de infecção em meses, em uma mulher que retornou recentemente do exterior.

A senhora de 56 anos, que retornou à Nova Zelândia em 30 de dezembro, testou positivo para o vírus dias depois de deixar uma quarentena obrigatória de duas semanas na fronteira, onde ela havia testado negativo duas vezes.

“Estamos trabalhando com o pressuposto de que este é um caso positivo e que é uma variante mais transmissível, seja aquela identificada primeiro na África do Sul ou no Reino Unido, ou potencialmente no Brasil – ou outra variante transmissível”, afirmou o diretor-geral de Saúde, Ashley Bloomfield, em uma entrevista coletiva.

Não se sabe como a mulher foi infectada ou se a infecção é nova, disse Bloomfield. Mas como a mulher testou positivo vários dias depois de ser liberada da quarentena e estava em casa, as autoridades estão tratando isso como um “provável caso comunitário”.

A Nova Zelândia, uma das nações desenvolvidas mais bem-sucedidas no controle da propagação da pandemia, registrou pela última vez uma transmissão desse tipo de coronavírus em 18 de novembro, de acordo com o site do Ministério da Saúde.

Um lockdown rigoroso e isolamento geográfico ajudaram a Nova Zelândia a praticamente eliminar o coronavírus dentro de suas fronteiras.

O país de 5 milhões de habitantes teve apenas 1.927 casos confirmados. Mas, com a pandemia crescendo em todo o mundo, mais pessoas estão retornando à Nova Zelândia com infecções, incluindo as novas variantes, aumentando a preocupação de que o vírus possa se espalhar na comunidade novamente.

A mulher, que mora em Northland, na Ilha do Norte da Nova Zelândia, foi colocada em quarentena ao chegar em uma instalação de isolamento controlada em Auckland, onde vários casos de Covid-19 altamente virulentos foram registrados nas últimas semanas, disse Bloomfield.

“Este é um lembrete para todos nós que a pandemia continua e que este é um vírus complicado”, disse ele.

Usuários de redes sociais correram para expressar preocupação e frustração com o novo caso, com um usuário descrevendo as reações no Twitter como um “gemido coletivo” .

Neste domingo, houve oito novas infecções, todos viajantes que retornaram da quarentena na fronteira, elevando os casos ativos entre aqueles em quarentena para 79, disse o ministério em um comunicado.

A pressão tem aumentado sobre o governo da primeira-ministra Jacinda Ardern para vacinar a população, mas a Nova Zelândia disse que a maioria de sua população só seria vacinada na segunda metade do ano.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.