Internacionais

Nomeação de chefe de agência de armas divide comitê do Senado dos EUA

Reuters
Reuters
Nomeação de chefe de agência de armas divide comitê do Senado dos EUA
David Chipman

24 de junho de 2021 - 15:47 - Atualizado em 24 de junho de 2021 - 15:51

Por Sarah N. Lynch

WASHINGTON (Reuters) – Democratas e republicanos do Comitê Judiciário do Senado dos Estados Unidos se dividiram a respeito da nomeação do defensor do controle de armas David Chipman, o escolhido do presidente Joe Biden para o comando da Agência de Álcool, Tabaco, Armas de fogo e Explosivos do Departamento de Justiça (ATF).

Na véspera da votação empatada, republicanos se opuseram explicitamente à nomeação de Chipman, citando seu histórico de defesa de regulamentos de armas mais rigorosos.

“O senhor Chipman quer proibir as armas de assalto”, disse o republicano Charles Grassley, nesta quinta-feira. “Esta nomeação é como um republicano colocar a NRA a cargo da ATF”, disse ele, referindo-se à entidade pró-armas Associação Nacional do Rifle.

O Senado está dividido igualmente entre republicanos e democratas, e o empate exigirá que os senadores democratas superem algumas barreiras processuais para levar adiante a nomeação de Chipman, mas não se trata de um obstáculo insuperável.

O trabalho do diretor da ATF tem uma carga política tão grande que o Senado só confirmou um indicado nos últimos 15 anos. O restante dos líderes da agência atua de maneira interina, o que torna mais difícil imprimirem sua marca em políticas duradouras e relevantes.

“Esta nomeação é um teste. Será que conseguimos colocar alguém a cargo da ATF?”, disse o presidente do Comitê Judiciário do Senado, Dick Durbin, nesta quinta-feira.

Já a senadora Dianne Feinstein classificou Chipman como “o líder que a ATF precisa”, citando preocupações com uma onda crescente de violência armada no país.

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH5N17O-BASEIMAGE