Internacionais

Mulher mata marido e é descoberta após pesquisas bizarras no Google

A princípio, os investigadores ainda não compartilharam um possível motivo para o assassinato, e o caso segue em investigação

Renata
Renata Nicolli Nasrala / Editora
Mulher mata marido e é descoberta após pesquisas bizarras no Google

28 de setembro de 2020 - 12:58 - Atualizado em 28 de setembro de 2020 - 12:58

Uma mulher que matou o marido foi descoberta após investigadores encontrarem uma pesquisa bizarra feita pela suspeita dias antes da morte do indivíduo.

Katrina Fouts, de 54 anos, de Pendleton, contou com a ajuda do cúmplice Terry Hopkins, de 64, de Williamsburg, para realizar a ação. Ambos foram presos e acusados pelo homicídio.

Mulher mata marido com cogumelos mortais

De acordo com a polícia, a esposa usou cogumelos mortais para envenenar o marido até a morte. Antes disso, ela chegou a pesquisar sobre fungos tóxicos online.

David Fouts, de 50 anos, foi encontrado morto em uma vala após consumir os cogumelos. Até o momento, não está claro se o homem foi forçado a comer o fungo ou se foi dado a ele como parte de uma refeição.

A polícia também afirmou que a esposa não denunciou o desaparecimento do marido nem tentou ligar para ele nos dias seguintes ao desaparecimento, a tornando ainda mais suspeita do crime.

Além de ter sido comprovado o consumo de cogumelos letais, David foi encontrado com cortes nas mãos e resíduos de fita adesiva em seus pulsos e tornozelos.

De acordo com uma declaração do tribunal, o cogumelo que ele ingeriu foi identificado como o Lyophyllum connatum, considerado potencialmente letal e popularmente conhecido como cogumelo domecap branco.

“Lyophyllum connatum é venenoso devido à muscarina, uma conhecida toxina do cogumelo”.

Após a polícia informar que havia encontrado o corpo de seu marido em uma vala, Katrina alegou que David havia ameaçado suicídio várias vezes ao longo dos anos.

A princípio, os investigadores ainda não compartilharam um possível motivo para o assassinato, e o caso segue em investigação.

“Katrina Fouts afirmou que no fim de semana anterior, David Fouts tinha dito que todos estariam melhor sem ele. Katrina disse repetidamente que se sentia culpada por não ter feito o suficiente para ajudá-lo”, disse a investigação.

A princípio, os investigadores ainda não compartilharam um possível motivo para o assassinato, e o caso segue em investigação.