Internacionais

“Megaseca” nos Andes provocada por aquecimento global deixa picos de montanhas sem neve

Reuters
Reuters
“Megaseca” nos Andes provocada por aquecimento global deixa picos de montanhas sem neve
Menos neve nos Andes

5 de agosto de 2021 - 19:48 - Atualizado em 5 de agosto de 2021 - 19:51

Por Juan Bustamante

BUENOS AIRES (Reuters) – A cordilheira dos Andes, que sempre atraiu esquiadores ao continente sul-americano, está enfrentando uma baixa histórica nas nevadas neste ano, durante uma seca que dura uma década, que cientistas dizem ser consequência do aquecimento global.

A chuva e a neve escassas estão deixando muitas das majestosas montanhas, que se estendem entre o Equador e a Argentina, com áreas irregulares de neve, ou sem nada de neve, com a terra marrom dos picos à mostra. 

Com a queda da precipitação e a diminuição das geleiras pela região, comunidades que dependem das montanhas para fornecimento de água podem sofrer com a escassez, disse Ricardo Villalba, principal pesquisador do Instituto Argentino de Neve, Geleiras e Estudos de Ciências Ambientais. 

“Aqui estamos vendo um processo de queda na precipitação em um longo prazo, uma megaseca”, disse Villalba. 

“Se olharmos os níveis de precipitação agora para a cordilheira inteira, eles mostram que ou não nevou nada, ou que nevou muito pouco”, apontou o cientista. 

Atualmente o Hemisfério Sul está passando pelo inverno, quando deveria ser o auge da queda de neve.

Os resorts de Ski reabriram após longos fechamentos durante a pandemia, e estão atraindo esquiadores saudosos para a fronteira entre Argentina e Chile. Mas a neve escassa está forçando muitos resorts a transportarem neve para cobrir descidas mais populares ou a fabricarem neve artificial.

(Reportagem de Juan Bustamante)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH741HZ-BASEIMAGE