Internacionais

Mãe mata as três filhas por medo de perder a guarda para o ex-marido

 A mulher matou as irmãs de 8 meses, 3 e 9 anos sufocadas; ela temia perder a custódia das crianças durante o processo de separação

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações do The Mirror
Mãe mata as três filhas por medo de perder a guarda para o ex-marido
A mãe matou as filhas dentro do apartamento da família. (Foto: Ilustrativa/Pixabay)

18 de outubro de 2020 - 14:05 - Atualizado em 18 de outubro de 2020 - 14:12

Uma mãe matou suas três filhas – com idades de 8 meses, 3 e 9 anos – por medo de perder a guarda das crianças para o ex-marido, considerado um homem violento. O crime ocorreu em Viena, na Áustria, neste sábado (17).

De acordo com um relatório sobre o caso, a mulher de 31 anos, que se acredita ser do Nepal, se separou de seu parceiro e uma liminar foi colocada em prática para impedi-lo de se aproximar da família devido aos casos já registrados de violência e abuso. No entanto, a ordem expirou no final de setembro e a mulher temia perder a custódia das filhas durante o processo de divórcio.

Mãe matou as filhas sufocadas

Uma investigação preliminar descobriu que as três meninas foram sufocadas pela mãe que, na sequência, chamou a polícia. Ela teria dito aos policiais que queria tirar a própria vida, mas eles conseguiram chegar a tempo na residência onde elas viviam e salvar a mulher. 

A mãe foi encontrada com ferimentos autoinfligidos, enquanto as filhas mais novas já estavam mortas por volta das 5h20. A menina de 9 anos chegou a ser encaminhada para um hospital, mas os médicos não conseguiram reanimá-la. 

Em nota, um porta-voz da polícia disse:

“Hoje, nas primeiras horas da manhã, uma mulher de 31 anos ligou para o número de emergência da polícia e afirmou que acabava de matar seus filhos e agora queria se matar. Durante uma busca imediata na casa, a polícia encontrou duas meninas, com idades de oito meses e três anos, que estavam mortas. Uma terceira menina, de nove anos, foi levada ao hospital, mas a ressuscitação não teve sucesso”. 

A mãe está presa e seu depoimento ainda não está disponível.