Internacionais

Marido é preso por empurrar esposa grávida de penhasco de mais de 300 metros

Ele chamou a companheira para tirar uma selfie e a empurrou segundos depois; ela esperava um bebê de sete meses

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Marido é preso por empurrar esposa grávida de penhasco de mais de 300 metros
A foto acima foi tirada antes do crime. (Foto: Reprodução)

19 de fevereiro de 2021 - 15:55 - Atualizado em 19 de fevereiro de 2021 - 15:59

Um homem foi preso por empurrar sua esposa que estava grávida de cima um penhasco, com mais de 300 metros, segundos depois de os dois tirarem uma selfie durante as férias no Butterfly Valley, na Turquia. Semra Aysal, de 32 anos, esperava um bebê de sete meses. Os dois morreram instantaneamente. 

De acordo com a acusação, Hakan Aysal, de 40 anos, planejou a morte da companheira e do filho com antecedência, para que tudo parecesse um acidente. O crime teria sido motivado por dinheiro. Isso porque alguns meses antes, ele fez um seguro de vida para a vítima e colocou seu próprio nome como único beneficiário de uma quantia aproximada em R$ 300 mil. 

Os promotores explicaram que o casal ficou sentado no topo do penhasco por três horas seguidas, isso porque Hakan queria ter certeza de que não haveria ninguém por perto no momento em que ele iria empurrar a esposa. Assim que ele percebeu que os dois estavam sozinhos, chamou Semra para tirar a foto na borda do local e consumou o duplo assassinato. 

Durante o julgamento, que ocorreu na última semana, também foi informado que Hakan tentou reivindicar o dinheiro do seguro, mas teve o benefício recusado quando a notícia da investigação foi revelada.

Em uma entrevista em vídeo, o tribunal ouviu o irmão da vítima, Naim Yolcu, que disse: “Quando fomos ao Instituto de Medicina Legal para pegar o corpo, Hakan estava sentado no carro. Minha família e eu fomos destruídos, mas Hakan nem mesmo parecia triste”. 

O assassinato ocorreu em julho de 2018 e Tribunal Criminal Superior de Fethiye determinou que Hakan seja detido sob custódia por homicídio premeditado, mesmo ele negando o crime. 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.