Internacionais

‘Leitor de mentes’ permite que homem volte a se comunicar após 18 anos

Segundo o pesquisador da Universidade da Califórnia, Dr. David Moses, o equipamento usa scanners para reconhecer ondas cerebrais particulares associadas a palavras específicas

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações do Daily Star
‘Leitor de mentes’ permite que homem volte a se comunicar após 18 anos
(Foto: UC San Francisco (UCSF)/ Youtube)

15 de julho de 2021 - 14:52 - Atualizado em 15 de julho de 2021 - 14:58

Um novo scanner de inteligência artificial, considerado um “leitor de mentes“, fez história no mundo da medicina quando um homem paralisado o usou para digitar palavras em uma tela apenas pensando nelas. O voluntário, nomeado apenas como Pancho, não consegue falar desde que sofreu um grave derrame aos 20 anos, após um acidente de carro, em 2003.

Um estudo com o equipamento, realizado nesta quarta-feira (14), revelou a primeira frase reconhecível de Pancho desde a tragédia: “Minha família está lá fora”. Eletrodos implantados em seu cérebro transmitiam sinais a um computador, que exibia suas palavras.

Pesquisadores da Universidade da Califórnia esperam que o equipamento ajude a transformar a vida de pessoas que não conseguem falar.

“Esta é a primeira vez que alguém que tenta dizer palavras naturalmente pode ser decodificado apenas a partir da atividade cerebral. Esperançosamente, esta é a prova de princípio para o controle direto da fala de um dispositivo de comunicação, usando a tentativa de fala como sinal de controle por alguém que não consegue falar, que está paralisado.”, afirmou o autor principal do estudo, Dr. David Moses, ao Daily Star.

Os algoritmos da máquina podem reconhecer 50 palavras e convertê-las em frases em tempo real.

“Decodificamos frases da atividade cortical do participante em tempo real a uma taxa mediana de 15,2 palavras por minuto, com uma taxa de erro de palavra mediana de 25,6%. Em análises, detectamos 98% das tentativas do participante de produzir palavras individuais e classificamos as palavras com 47,1% de precisão. A tecnologia para restaurar a capacidade de comunicação em pessoas paralisadas que não podem falar tem o potencial de melhorar a autonomia e a qualidade de vida.”, continuou Dr. Moses.

Leitor de mentes

Dr. Moses disse que a tecnologia não é tecnicamente a de um leitor de mentes, uma vez que usa scanners para reconhecer ondas cerebrais particulares associadas a palavras específicas. Outros scanners cerebrais permitem que os pacientes movam um rastreador e selecionem palavras usando a mente.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.