Internacionais

Jovem desenvolve câncer e tem dedo amputado devido ao hábito de roer as unhas

A jovem conta que começou a roer unhas após sofrer bullying na escola. Estudos apontam que o surgimento do câncer raro que ela teve podem estar ligados à lesões anteriores, como cortes ou mordidas.

Aline
Aline Taveira / Produtora com informações do Daily Star
Jovem desenvolve câncer e tem dedo amputado devido ao hábito de roer as unhas
(Foto: Mercury Press)

29 de junho de 2021 - 10:58 - Atualizado em 29 de junho de 2021 - 11:01

Uma jovem teve que amputar um dos polegares depois de desenvolver uma forma rara de câncer. Segundo o The Sun, ela acredita que a doença pode estar ligada ao hábito de roer unhas.

Courtney Whithorn começou a roer as unhas depois de ser intimidada na escola, e seu hábito tornou-se tão ruim que ela arrancou completamente a unha do polegar em 2014.

A garota de 22 anos logo percebeu que seu polegar começou a ficar preto, mas conseguiu mantê-lo escondido de seus amigos e familiares por quatro anos. A estudante de psicologia acabou sendo diagnosticada com um câncer raro, que pode estar relacionado ao grave trauma causado pela mordida da unha do polegar.

Desde seu diagnóstico de choque em julho de 2018, Courtney passou por quatro cirurgias. Apesar das tentativas de salvar seu polegar, ela teve que amputá-lo.

Courtney, originalmente de Newton Aycliffe, na Austrália, conversou com o The Sun.

“Quando descobri que arrancar minha unha era a causa do câncer, isso me quebrou. Fiquei um pouco assustada quando a minha pele começou a ficar preta, por isso mostrei-os pela primeira vez. Sempre tive unhas postiças para esconder porque era muito preto.”, contou.

Ela afirmou que foi ao médico porque a pele começou a ficar preta, mas estava focada nos motivos estéticos e seu médico a encaminhou para um cirurgião plástico.

“Mas antes da minha primeira cirurgia plástica, os médicos perceberam que algo estava errado e decidiram fazer uma biópsia”, disse Courtney

A causa do câncer raro não é conhecida, pois nem sempre está ligada à exposição ao sol, mas alguns estudos sugerem que traumas anteriores ao tratamento – como um corte ou lesão – podem estar ligados à doença.

“Fizeram mais exames e quando os resultados voltaram, me disseram que era um melanoma maligno, muito raro, principalmente para alguém da minha idade e daquele tamanho”, lembrou.

O cirurgião decidiu primeiro realizar uma terceira cirurgia, criando uma incisão mais ampla no polegar de Courtney para remover mais células malignas – mas essa operação apenas confirmou a necessidade de amputação.

Courtney, que amava escrever, lamenta por ter que parar a faculdade.

“Eu também tive que adiar a universidade porque não posso escrever. Estou no segundo ano e devo me formar no ano que vem, mas agora só será no ano seguinte.”, contou.

Ela lamenta sobre o hábito de roer unhas, mas, apesar dos traumas, ela afirma estar feliz.

“Eu nem sabia que estava roendo minhas unhas às vezes – simplesmente aconteceu. Eu meio que perdi o sentimento porque fazia isso com frequência. Sem meu namorado ou família, eu honestamente não sei como eu teria superado tudo isso.”

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.