Internacionais

Itália registra novo recorde de casos diários de coronavírus com mais de 10.000 infecções

Reuters
Reuters
Itália registra novo recorde de casos diários de coronavírus com mais de 10.000 infecções
.

16 de outubro de 2020 - 16:05 - Atualizado em 16 de outubro de 2020 - 16:06

Por Crispian Balmer

ROMA (Reuters) – A Itália registrou 10.010 novas infecções por coronavírus nas últimas 24 horas, informou o Ministério da Saúde nesta sexta-feira, o que representa a maior contagem diária desde o início do surto no país e acima do recorde anterior de 8.804 casos informado na véspera.

O ministério também relatou 55 mortes relacionadas ao coronavírus, contra 83 no dia anterior e muito menos do que no auge da pandemia na Itália em março e abril, quando houve um pico de mais de 900 mortes registradas em 24 horas.

O número de pacientes de coronavírus internados em unidades de cuidados intensivos continuou a aumentar, chegando a 638 na sexta-feira, ante 586 na quinta-feira, em comparação com uma mínima de cerca de 40 na segunda quinzena de julho.

A Itália foi o primeiro país da Europa a ser atingido duramente pela Covid-19 e tem o segundo maior número de mortos no continente, atrás apenas do Reino Unido, com 36.427 mortes desde o início do surto em fevereiro, de acordo com dados oficiais.

O número de testes realizados nas últimas 24 horas caiu para 150.377, do recorde de 162.932 registrado na quinta-feira.

O governo italiano impôs na terça-feira novas restrições a reuniões, restaurantes, esportes e atividades escolares, em uma tentativa de diminuir o aumento de infecções.

No entanto, alguns especialistas disseram que as medidas foram muito limitadas e alguns líderes locais, desde então, anunciaram ações mais agressivas para suas regiões.

O chefe da Lombardia, no norte, a região mais atingida na Itália, disse nesta sexta-feira que revisaria o horário de funcionamento de bares e restaurantes e fecharia centros de jogos e salas de bingo. Ele também pediu às universidades que voltassem ao ensino à distância.

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, descartou a volta de um lockdown nacional, mas ministros do governo podem se reunir no fim de semana para discutir o aperto das restrições atuais, disse uma fonte.

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG9F1S5-BASEIMAGE