Internacionais

Irã pede que eleitores votem em eleição presidencial na sexta-feira

Reuters
Reuters
Irã pede que eleitores votem em eleição presidencial na sexta-feira
Apoiadores do candidato a presidente Ebrahim Raisi durante comício eleitoral em Teerã

17 de junho de 2021 - 10:45 - Atualizado em 17 de junho de 2021 - 10:46

(Reuters) – O presidente do Irã apelou aos eleitores para que deixem de lado suas queixas e votem na eleição presidencial de sexta-feira, que se acredita que será boicotada por um número recorde de pessoas devido às adversidades econômicas e à frustração com o governo linha-dura.

O chefe linha-dura do Judiciário, Ebrahim Raisi, e o ex-presidente do Banco Central e moderado Abdolnasser Hemmati, são os principais concorrentes desde que o Conselho dos Guardiães desqualificou vários candidatos proeminentes e outros desistiram.

Relativamente moderado, o presidente iraniano, Hassan Rouhani, pediu aos iranianos nesta quinta-feira, quando a campanha terminou, que não deixem as “limitações de uma instituição ou um grupo” impedi-los de votar, uma referência aparente ao Conselho dos Guardiães.

“Por ora, não pensemos em queixas amanhã”, disse Rouhani em comentários televisionados.

O líder supremo, aiatolá Ali Khamenei, já pediu ao povo que compareça em grandes números, dizendo que isto evitaria pressões estrangeiras sobre a República Islâmica.

Pesquisas de opinião oficiais indicam que o comparecimento pode baixar para 41%, consideravelmente menos do que em eleições anteriores.

Além da revolta com a desqualificação de moderados destacados, as queixas incluem adversidades econômicas exacerbadas por sanções dos Estados Unidos, corrupção oficial, má administração e uma repressão a protestos de 2019 desencadeados pelo aumento de preços do combustível.

O abate acidental de um avião ucraniano no Irã em janeiro do ano passado, que matou 176 pessoas, também minou a confiança pública.

“Votar seria um insulto à minha inteligência”, disse Fatemeh, de 55 anos, recusando-se a informar o sobrenome por medo de represálias. “Raisi já foi selecionado pelo governo, não importa em quem votemos.”

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759)) REUTERS ES

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH5G0XV-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.