Internacionais

Governo Biden indica coordenadora para “diplomacia da vacina” dos EUA no mundo

Reuters
Reuters
Governo Biden indica coordenadora para “diplomacia da vacina” dos EUA no mundo
Gayle Smith concede entrevista em Washington

5 de abril de 2021 - 18:09 - Atualizado em 5 de abril de 2021 - 18:11

Por Humeyra Pamuk e Simon Lewis

WASHINGTON (Reuters) – O governo Biden nomeou nesta segunda-feira uma coordenadora para liderar a diplomacia da vacina contra a Covid-19 dos Estados Unidos no mundo enquanto busca garantir aos países em busca de mais doses que Washington está agindo da maneira mais rápida possível. 

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, apontou Gayle Smith, uma ex-coordenadora da Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (USAID, na sigla em inglês) durante o governo Obama, ao cargo de coordenadora para a Resposta Global da Covid e de Segurança Sanitária no Departamento de Estado.

Em declarações no Departamento, Blinken disse que enquanto Washington garante seu próprio estoque de vacinas, o governo também começou a explorar como pode compartilhar mais com outros países. Os Estados Unidos já aplicaram mais de 165 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 até o último domingo de manhã. 

“Eu sei que muitos países estão pedindo que os Estados Unidos façam mais, alguns estão ficando desesperados, por conta do escopo e da escala de suas emergências com a Covid. Nós escutamos vocês, e eu prometo que estamos agindo da maneira mais rápida possível”, disse.

As iniciativas dos EUA para aumentar fornecimento de vacinas para o restante do mundo acontecem ao mesmo tempo em que Washington trabalha para fazer frente à diplomacia de vacinas da China. A Rússia também já ofereceu milhões de doses com financiamento para um esquema de compras da União Africana. 

“Já emprestamos vacinas para nossos vizinhos mais próximos, México e Canadá, e iremos trabalhar com parceiros globais na fabricação e no fornecimento para garantir vacinas para todos, em toda parte”, disse Blinken. Os Estados Unidos, que ainda não autorizaram o uso da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19, anunciaram que planejam enviar cerca de 4 milhões de doses para o México e o Canadá em acordos bilaterais de empréstimo com os dois países. 

(Reportagem de Humeyra Pamuk e Simon Lewis)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH34103-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.