Internacionais

Dívida britânica irá crescer com Covid-19, mas sem aumento de impostos, diz instituto

Reuters
Reuters

12 de outubro de 2020 - 20:38 - Atualizado em 12 de outubro de 2020 - 20:38

LONDRES (Reuters) – O montante da dívida do Reino Unido provavelmente vai aumentar e manter-se acima de 100% do Produto Interno Bruto (PIB) pelos próximos anos, mas o primeiro-ministro Boris Johnson não deve ter pressa em enfrentá-lo com aumento de impostos, segundo um instituto de pesquisa econômica.

O endividamento público em 2020 atingirá um nível nunca visto fora das duas guerras mundiais, graças ao aumento dos gastos do governo com coronavírus de 200 bilhões de libras (260 bilhões de dólares) e um rombo de 95 bilhões de libras nas receitas fiscais, disse o Instituto de Estudos Fiscais.

O acúmulo da dívida pública britânica já atingiu 2 trilhões de libras, ou pouco mais de 100% do PIB.

O Instituto de Estudos Fiscais afirmou que é provável que fique em 110% do PIB no ano financeiro de 2024-25, ao final de seu período de previsão.

“Sem ação, a dívida –já em seu nível mais alto em mais de meio século– continuará aumentando”, disse o diretor do instituto, Paul Johnson.

“Aumentos de impostos, e grandes, parecem quase inevitáveis, embora provavelmente não até meados desta década”, acrescentou.

(Por William Schomberg)