Internacionais

Defensores do aborto bloqueiam ruas da Polônia para protestar

Reuters
Reuters
Defensores do aborto bloqueiam ruas da Polônia para protestar
Manifestação contra imposição de novas restrições ao aborto em Varsóvia

26 de outubro de 2020 - 15:40 - Atualizado em 26 de outubro de 2020 - 15:45

Por Joanna Plucinska e Anna Koper

VARSÓVIA (Reuters) – Milhares de poloneses bloquearam ruas de cidades em carros, bicicletas e a pé nesta segunda-feira, o quinto dia de protestos contra uma decisão do Tribunal Constitucional que equivale a uma proibição quase total ao aborto na nação predominantemente católica.

Portando cartazes que diziam “Chega”, “Não serei sua mártir” e “Quero escolha, não terror”, manifestantes se reuniram em dúzias de cidades pequenas e grandes, desafiando restrições contra o coronavírus.

“As mulheres são fortes”, disse Malgorzata Rutkowska, de 56 anos, em uma das principais vias públicas de Varsóvia, dizendo que os protestos continuarão até a proibição ser revertida.

O veredicto de quinta-feira passada provocou uma reação inédita contra a poderosa Igreja Católica da Polônia, que se acredita ter laços estreitos com o governo conservador e nacionalista do Partido Lei e Justiça (PiS).

Ele também intensificou as críticas ao PiS, que chegou ao poder cinco anos atrás prometendo fomentar mais valores tradicionais.

Depois que o veredicto entrar em vigor, o aborto será proibido em caso de anomalias do feto, e só será legal em caso de estupro, incesto ou risco para a saúde da mulher.

Críticos dizem que a corte agiu em nome do partido, que já recuou de tentativas de endurecer as leis do aborto por causa da revolta pública – o que o PiS nega.

O tribunal é parte de uma grande reforma governamental do sistema de Justiça que a Comissão Europeia disse subverter o Estado de Direito por politizar as cortes.

(Reportagem adicional de Anna Wlodarczak-Semczuk)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG9P1IY-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.