Internacionais

Crítico do Kremlin Alexei Navalny pode pegar 3,5 anos de prisão no retorno à Rússia

Reuters
Reuters
Crítico do Kremlin Alexei Navalny pode pegar 3,5 anos de prisão no retorno à Rússia
Alexei Navalny

14 de janeiro de 2021 - 12:21 - Atualizado em 14 de janeiro de 2021 - 12:26

Por Anton Zverev

MOSCOU (Reuters) – O crítico do Kremlin Alexei Navalny está em uma lista russa de procurados por supostamente violar os termos de uma sentença de prisão suspensa e corre o risco de ser preso por três anos e meio quando retornar à Rússia neste fim de semana, disse um de seus advogados na quinta-feira.

Navalny anunciou na quarta-feira que planeja voar de volta à Rússia no domingo pela primeira vez desde que foi envenenado em agosto pelo agente nervoso Novichok, apesar do risco de ser preso ao retornar da Alemanha.

O Kremlin nega envolvimento em seu envenenamento, disse não ter visto nenhuma evidência de que ele foi envenenado e que ele está livre para retornar à Rússia a qualquer momento.

Na quarta-feira, Navalny ignorou a lista crescente de ameaças legais, chamando os processos criminais contra ele –dos quais há pelo menos dois pendentes– de inventados para frustrar suas ambições políticas.

Vadim Kobzev, um dos advogados de Navalny, afirmou à Reuters na quinta-feira que Navalny havia sido colocado em uma lista nacional de procurados porque o serviço penitenciário da Rússia o acusa de não se reportar a eles no final do ano passado em conexão com uma pena suspensa por peculato.

Navalny disse que o caso original contra ele foi forjado e que estava na Alemanha na ocasião em tratamento contra o envenenamento, portanto não poderia se apresentar. O serviço penitenciário diz que ele recebeu alta de um hospital de Berlim em setembro e, portanto, deveria ter voltado a Moscou para se apresentar.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH0D14L-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.