Internacionais

Cocaína produzida “de forma ética” faz sucesso entre a elite europeia

A suposta “cocaína ética” seria produzida com pagamento justo, sem violência e sem desmatar o meio ambiente

Aline
Aline Taveira / Produtora com informações do Daily Mirror
Cocaína produzida “de forma ética” faz sucesso entre a elite europeia
(Foto: Reprodução)

6 de julho de 2021 - 12:26 - Atualizado em 6 de julho de 2021 - 12:26

Uma droga chamada de “cocaína ética” tem feito sucesso entre os os usuários de drogas ricos no Reino Unido. A cocaína é “diferenciada”, pois seria produzida sem violência, com pagamento justo a agricultores e com menos impacto ao meio ambiente.

O preço chega a £200, o equivalente a R$ 1.400 a mais por grama da droga. Segundo o Daily Mirror, para os especialistas, entretanto, o produto não passa de uma “estratégia de marketing”, já que a cocaína anunciada como “ética” não tem nada de diferente da produzida normalmente. Mesmo assim, o impacto sobre os consumidores mais abastados tem sido grande.

“Tenho visto anúncios de ‘cheirinho ecológico’, mas não passa de uma jogada de marketing muito inteligente. Os traficantes podem mentir porque o governo não tem controle e estão sendo cada vez mais espertos na operação”, disse o ex-policial antidrogas do Reino Unido Neil Woods.

A estimativa é que cerca de 1.500 toneladas de cocaína sejam exportadas da Colômbia todos os anos. Essa grande quantidade contribui para a indústria do tráfico de drogas no Reino Unido, que já vale cerca de R$12,7 bilhões anualmente.

Além da violência empregada no tráfico de drogas, a produção de cocaína também contribuiu para altas taxas de desmatamento na Colômbia e em outros países da América do Sul, com cartéis destruindo cerca de 100.000 hectares de floresta a cada ano.

“Posso dizer que ninguém na Colômbia produz cocaína eticamente. O comércio envolve inevitavelmente derramamento de sangue, a desestabilização de comunidades e um ciclo terrível de violência. Se a demanda aumenta, a produção também aumenta e o ciclo de destruição continua. O que você chama de cocaína de comércio justo só vai trazer mais ganância e derramamento de sangue.”,  afirmou a funcionária de agência humanitária colombiana Bibiana Villota

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.