Internacionais

China acusa navio dos EUA de entrar ilegalmente em território chinês no Pacífico

Reuters
Reuters
China acusa navio dos EUA de entrar ilegalmente em território chinês no Pacífico
Navio da Marinha dos EUA USS Curtis Wilbur no Mar das Filipinas

20 de maio de 2021 - 12:07 - Atualizado em 20 de maio de 2021 - 12:11

PEQUIM (Reuters) – A China disse nesta quinta-feira que um navio de guerra dos Estados Unidos entrou ilegalmente em suas águas territoriais no Mar do Sul da China e que foi expulso por forças chinesas, uma afirmação que os EUA negam, na mais recente troca de farpas causada pelas reivindicações de Pequim sobre a rota marítima movimentada.

Em um comunicado, o Comando do Teatro Sul dos militares chineses disse que o USS Curtis Wilbur entrou nas águas perto das Ilhas Paracelso sem permissão, acrescentando que navios e aviões chineses seguiram a embarcação norte-americana e a “expulsaram”.

O texto acrescentou que a China se opôs à ação dos EUA, que disse ter violado sua soberania e minado a paz e a estabilidade regionais.

Mas a Sétima Frota da Marinha dos EUA disse que a embarcação “assegurou direitos e liberdades de navegação” perto das Ilhas Paracelso, sobre as quais China, Taiwan e Vietnã reivindicam soberania, e que os comentários dos militares chineses sobre a missão são falsos.

“O USS Curtis Wilbur não foi ‘expulso’ do território de nenhuma nação”, disse.

“O USS Curtis Wilbur realizou esta Operação de Liberdade de Navegação (Fonop) de acordo com a lei internacional, e depois continuou a realizar operações normais em águas internacionais”.

O Mar do Sul da China se tornou um dos pontos de atrito do relacionamento tenso entre a China e os EUA. Washington rejeita o que qualifica como reivindicações territoriais ilegais de Pequim sobre as águas ricas em recursos naturais.

(Redação Pequim)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH4J0XS-BASEIMAGE