Internacionais

Casal alemão se refugia em barco para escapar de lava de vulcão em La Palma

Reuters
Reuters
Casal alemão se refugia em barco para escapar de lava de vulcão em La Palma
Vulcão expele lava em El Paso, nas Ilhas Canárias, na Espanha

15 de outubro de 2021 - 19:37 - Atualizado em 15 de outubro de 2021 - 19:40

Por Bart Biesemans

LA PALMA (Reuters) – Juergen Doelz e sua namorada Jacqueline Rehm estavam vendendo seu pequeno veleiro na ilha espanhola de La Palma quando o vulcão Cumbre Vieja entrou em erupção, forçando-os a fugir de casa e se mudar para o barco.

Doelz, de 66 anos, e Rehm, de 49, que são da Alemanha, vinham tentando vender o barco para juntar dinheiro depois que ela perdeu o emprego em uma locadora de automóveis devido à pandemia do coronavírus.

Em 19 de setembro, quando o vulcão começou a cuspir lava incandescente a apenas 4 km de sua casa em Todoque, o casal havia acabado de voltar de uma viagem com um comprador em potencial. Mas a venda fracassou porque a embarcação “não era esportiva o suficiente”, disse Doelz à Reuters sobre o barco, atracado no porto de Tazacorte.

Poucas horas depois, eles foram obrigados a sair da casa alugada com vinha e terraço com vista para o mar e tiveram que deixar para trás a maior parte de seus pertences.

“Felizmente, ainda tínhamos o barco… E desde então vivemos neste barco. É pequeno, mas está bem”, disse Doelz, que está aposentado.

Correntes de lava devastaram mais de 600 hectares de terra e destruíram cerca de 1.600 estruturas em La Palma. Cerca de 6.000 pessoas foram retiradas de suas casas na ilha, que tem cerca de 83.000 habitantes.

“Mudamos para cá (La Palma) há dois anos e meio e depois de meio ano encontramos a casa dos nossos sonhos… Perdê-la depois de dois anos é difícil”, afirmou Doelz.

Embora a lava ainda não tenha atingido sua casa, eles acreditam que é apenas uma questão de tempo depois que o fluxo destruiu a casa de seus vizinhos suíços e a erupção não dá sinais de diminuir.

“Ficaremos no barco enquanto não soubermos o que fazer a seguir. Ficamos aqui ou vamos talvez para outra ilha, como Tenerife? Não faço ideia, não sei. Está escrito no estrelas”, explicou Rehm.

(Reportagem adicional de Graham Keeley, Emma Pinedo e Jesus Aguado)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH9E14X-BASEIMAGE