Caroline
Caroline Berticelli / Editora

11 de novembro de 2019 - 00:00

Atualizado em 11 de novembro de 2019 - 00:00

Internacionais

Brasileira morta pelo filho na Espanha estava com medo do adolescente

A mulher chegou a dizer que precisava colocar um trinco em seu quarto para se proteger; ela não se sentia segura com o filho em casa

A brasileira morta pelo filho na Espanha já havia falado sobre o comportamento estranho do adolescente para uma amiga. O jovem de 17 anos está detido. 

Brasileira morta pelo filho na Espanha queria colocar trinco no quarto

Meses antes de ser assassinada, segundo o jornal El País, Minaene Franco, de 36 anos, chegou a dizer que precisava colocar um trinco eu seu quarto para se proteger, porque não se sentia segura com o filho em casa. Tudo porque o adolescente que era tímido e respeitoso com os outros, havia se tornado violento com a mãe

Amigos também relataram que já haviam visto marcas de agressões no corpo da vítima.

A brasileira foi encontrada morta dentro e uma mala, em um armário. (Foto: Reprodução/Em Progresso)

 Segundo a polícia, o crime ocorreu no dia 2 de novembro, último dia em que a vítima foi vista por vizinhos e conversou com sua irmã que mora no Brasil. No entanto, o corpo da brasileira foi encontrado apenas no dia 4 de novembro, depois que uma amiga percebeu duas gotas de sangue na porta de entrada do apartamento onde ela vivia com o filho. A vítima foi localizada morta dentro de um mala em um armário

Ainda no dia 2, o filho da brasileira foi visto por um estranho em um parque, nas proximidades do apartamento, com as mãos ensanguentadas. Na mesmo dia, o suspeito ainda teria seguido para um pronto-socorro, onde precisou fazer curativos nos cortes profundos que apresentava nas duas mãos. 

Mãe sustentava o filho sozinha

A brasileira – que vivia na Espanha há cerca de 14 anos – criava o filho sozinha e logo que se mudou para o país, chegou a deixar o menino, mas assim que pôde voltou para buscá-lo. 

Para alguns amigos e familiares da vítima, o adolescente é um psicopata. “Perguntei a ela sobre sua mãe, mas ele me disse que estava na Corunha, mas eu sabia que não era verdade, porque ela não tinha dinheiro para ir. Ele é um psicopata, planejou tudo, matou a mãe e depois saiu para beber”, declarou uma amiga que falou com o suspeito ainda no dia 2 de novembro.