Internacionais

Bebê tem cérebro danificado após diagnóstico errôneo de covid-19

Ele tinha apenas quatro meses de idade quando adoeceu e precisou passar por uma consulta online

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Bebê tem cérebro danificado após diagnóstico errôneo de covid-19
Foto: Reprodução

27 de fevereiro de 2021 - 14:11 - Atualizado em 27 de fevereiro de 2021 - 14:16

Um bebê teve o lado esquerdo do cérebro danificado após ser diagnosticado com covid-19 em uma consulta online. Hugo Dato, nascido na região espanhola de Murcia, tinha apenas quatro meses quando adoeceu, apresentando sinais de febre, conjuntivite e vermelhidão da pele.

De acordo com o The Mirror, a doença apareceu quando a Espanha entrou em seu primeiro bloqueio  total, devido a pandemia, em março de 2020, por isso, o médico de família não pôde examinar Hugo pessoalmente.

“Ligamos para o médico de família e como não o viram cara a cara devido ao aumento dos casos de coronavírus, Hugo foi diagnosticado com coronavírus e tinha receita com remédio para febre e uma solução para seus olhos”, explicou o pai José Maria Dato Cano, de 35 anos. 

José lembra que mesmo sob a orientação de não se dirigir a centros de saúde ou hospital, em determinado momento, após alguns dias, a saúde do filho começou a se deteriorar de tal forma que ele não teve outra opção. 

No consultório particular, os pais informaram sobre a suspeita de covid-19, mas a situação não foi confirmada já que não havia exames prontamente disponíveis naquela ocasião. Mesmo assim, o médico prescreveu antibióticos para Hugo e, em 20 dias, ele voltou ao normal. 

No entanto, o coração do menino parou de funcionar repentinamente enquanto ele estava nos braços de sua mãe em 27 de dezembro. Já com um ano, ele precisou ser levado às pressas para o Hospital Santa Lúcia, na cidade portuária de Cartagena, de onde foi transferido para uma instituição com mais estrutura.

Foi só no novo hospital que os profissionais descobriram grandes aneurismas no coração de Hugo, causados ​​por uma doença rara chamada síndrome de Kawasaki, que acarreta em febre e inflamação dos vasos sanguíneos de todo o corpo.

Maria Jesus Hernandez Guirao, de 33 anos, a mãe do menino afirmou que ele poderia ter sido curado com um tratamento simples caso a doença tivesse sido descoberta logo no início, mas os médicos não detectaram porque presumiram que era o covid.

Por fim, Hugo recebeu o tratamento certo, mas o incidente quase fatal causou sérios danos cerebrais devido à falta de oxigênio em seu cérebro quando seu coração parou.

“Ele não chora, não interage com a gente, olha um pouco para a gente, mas não reage a nada”, contou o pai. 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.