Internacionais

Bebê é resgatado à beira de morte após ficar 5 meses escondido em guarda-roupa

Segundo a polícia, a mãe queria esconder o nascimento da criança e a trancou no armário; o irmão de 13 anos alimentava o bebê escondido

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Bebê é resgatado à beira de morte após ficar 5 meses escondido em guarda-roupa
O bebê foi resgatado do guarda-roupas e encaminhada para um hospital. (Foto: Reprodução/Ok.ru)

11 de outubro de 2020 - 16:41 - Atualizado em 11 de outubro de 2020 - 16:41

Um bebê foi resgatado com caso severo de desnutrição após passar cerca de 5 meses escondido dentro de um guarda-roupa, onde foi colocado pela própria mãe. A criança está hospitalizada e passa por um tratamento intensivo. 

O bebê, chamada Katya, vivia de água e restos aleatórios de comida que seu irmão de 13 anos dava para ela secretamente, desde que a mãe, Yulia, de 37 anos, colocou ela no armário para supostamente manter seu nascimento em segredo.

“O filho dela sabia sobre o bebê, mas pelo que entendi ela o ameaçou não dizer uma palavra sobre isso. O menino estava alimentando o bebê de vez em quando”, explicou uma testemunha.

Bebê foi encontrado no guarda-roupa durante festa

De acordo com jornais da Rússia, onde o caso aconteceu, Katya teria sido encontrada durante uma festa de aniversário por uma amiga da mãe que “ouviu um choro abafado“. A mulher resolveu investigar de onde vinha o barulho e acabou se deparando com a menina em uma mochila esportiva dentro do guarda-roupa, em um quarto vazio do apartamento.

“A mãe estava tomando um drinque de aniversário com uma amiga, que perguntou por que um dos quartos de seu apartamento estava sempre fechado. Yulia disse que era usado para armazenamento. Mas uma jovem resolveu entrar no quarto para verificar mesmo sem permissão”, contou a testemunha. 

A mãe, mencionada em relatórios apenas como ‘Yulia’, foi detida e um processo criminal aberto pelo Comitê de Investigação Russo sob alegações de que ela “torturou” a criança, o que acarreta pena de até sete anos de prisão.

Acredita-se que ela “esperava que o bebê morresse de fome”, depois que ele nasceu em abril.

“Ela queria matar o bebê, mas no final não teve ânimo suficiente para isso. Ela pensou que talvez o bebê morresse de fome. Ela foi encontrada por acidente”, disse um pessoa que preferiu não se identificar. 

O bebê resgatado do guarda-roupas estava subnutrido. (Foto: vk.com/krasnoturinsk_live)

“É difícil acreditar nesta história horrenda, mas por mais difícil que seja dizer isso, é verdade. Os policiais encontraram o bebê faminto e organizaram seu transporte urgente para o hospital, onde os médicos estão lutando por sua vida”, declarou o porta-voz da polícia regional de Sverdlovsk, Valery Gorelykh. 

Uma fonte próxima da família de Yulia disse à polícia que o bebê resgatado de dentro do guarda-roupa era fruto de relacionamento que a mãe teve com um homem casado, depois que se separou de seu ex-marido.

Nenhuma comida de bebê, berço ou roupas foram encontrados no apartamento. A mãe foi detida e está sendo examinada em uma clínica psiquiátrica, segundo a polícia.