Internacionais

AstraZeneca diz que volumes iniciais de vacina para UE ficarão abaixo do esperado

Reuters
Reuters
AstraZeneca diz que volumes iniciais de vacina para UE ficarão abaixo do esperado
Vacina da AstraZeneca

22 de janeiro de 2021 - 16:43 - Atualizado em 22 de janeiro de 2021 - 16:45

FRANKFURT (Reuters) – A iniciativa de vacinação contra Covid-19 da Europa sofreu mais um revés nesta sexta-feira, quando a AstraZeneca disse que as entregas iniciais à região ficarão abaixo dos volumes almejados devido a um problema de produção.

“Os volumes iniciais serão menores do que originalmente antecipado, devido à produtividade reduzida no local de fabricação em nossa cadeia europeia de fornecimento”, disse um porta-voz da empresa em comunicado, sem mais detalhes.

O contratempo afeta uma campanha europeia de imunização que já foi prejudicada por uma escassez temporária na cadeia de suprimento dos desenvolvedores de vacinas Pfizer e BioNTech, que estão reajustando uma instalação da Bélgica para intensificar a produção.

A Comissão Europeia disse que a Astra informou o comitê organizador de vacinação da União Europeia sobre uma mudança em sua calendário de remessas e que a Comissão está trabalhando para conseguir mais.

Depois que o produto da BioNTech, assim como uma vacina feita pela empresa de biotecnologia norte-americana Moderna, já foi lançado após obter uma aprovação regulatória, uma decisão da UE a respeito de uma aprovação regulatória do composto da Astra é esperada até o final de janeiro.

“Nós iremos fornecer dezenas de milhões de doses em fevereiro e março para a União Europeia, à medida que continuamos aumentando os volumes de produção”, acrescentou. Ele não revelou qual era a meta inicial para as entregas.

A UE firmou um acordo para comprar ao menos 300 milhões de doses da Astra, com a opção de mais 100 milhões de doses, parte dos compromissos globais da empresa para fornecer mais de 3 bilhões de doses.

O ministro da Saúde da Áustria, Rudolf Anschober, alertou a AstraZeneca que qualquer atraso seria “absolutamente inaceitável”, embora não tenha chegado a confirmar reportagens da mídia austríaca segundo as quais a empresa disse ao país que só pode fornecer 600 mil doses da vacina no primeiro trimestre, ao invés das 2 milhões planejadas originalmente.

(Por Ludwig Burger em Frankfurt e Francois Murphy em Viena; reportagem adicional de Francesco Guarascio em Bruxelas)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH0L187-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.