Internacionais

Ambientalista é morto por leoas que cuidou desde filhotes

West Mathewson foi atacado pelos felinos durante um passeio; sua esposa presenciou a tragédia

Caroline
Caroline Berticelli / Editora
Ambientalista é morto por leoas que cuidou desde filhotes
Foto: Reprodução/Reallysaco.za

27 de agosto de 2020 - 18:00 - Atualizado em 27 de agosto de 2020 - 18:10

Um famoso ambientalista sul-africano foi morto por duas leoas albinas que cuidou desde filhotes nesta quinta-feira (27). West Mathewson, de 68 anos, foi atacado pelos animais durante um passeio em seu safári-hotel ‘Lion Tree Top Lodge’, na província de Limpopo. 

De acordo com informações de sites internacionais, Mathewson estava brincando de luta e corrida com os felinos quando foi morto. Sua esposa assistiu a tragédia de dentro de um veículo a poucos metros de distância, ela ainda tentou distrair as leoas, mas não conseguiu salvar o marido

O ambientalista chegou a ser socorrido e levado para um hospital, contudo, não conseguiu resistir aos ferimentos profundos.

Em entrevista à mídia, a nora da vítima confessou que não está totalmente claro por que os leões atacaram seu tutor. Ela acrescentou que provavelmente não queriam matá-lo e que sua morte pode ter sido o resultado de uma “brincadeira brutal“.

Leoas que mataram Mathewson estão envolvidas em outra morte

Em 2017, as duas leoas albinas já haviam se envolvido com a morte de um funcionário de uma fazenda vizinha ao hotel-safári, depois que escaparam de seus recintos. No entanto, Mathewson preferiu não sacrificá-las por acreditar que jamais atacariam ele ou outra pessoa. 

West Mathewson dedicou a maior parte de sua vida aos animais. (Foto: Reprodução/Reallysaco.za)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.