Internacionais

Abbas anuncia adiamento de eleição parlamentar palestina e culpa Israel

Reuters
Reuters
Abbas anuncia adiamento de eleição parlamentar palestina e culpa Israel
Presidente palestino, Mahmoud Abbas, em reunião com a liderança palestina para discutor acordo dos Emirados Árabes com Israel, em Ramala, na Cisjordânia

30 de abril de 2021 - 10:25 - Atualizado em 30 de abril de 2021 - 10:26

Por Rami Ayyub e Ali Sawafta e Nidal al-Mughrabi

JERUSÁLEM (Reuters) – O presidente palestino, Mahmoud Abbas, adiou nesta sexta-feira uma eleição parlamentar planejada em meio a uma disputa sobre a votação em Jerusalém Oriental, anexado por Israel, e divisões em seu partido Fatah.

Abbas, de 85 anos, culpou Israel por não deixar claro se permitirá que a eleição legislativa ocorra em Jerusalém, na Cisjordânia ocupada e em Gaza.

A decisão veio três meses depois de ele anunciar as primeiras eleições nacionais em 15 anos, o que foi visto por muitos como uma resposta às críticas sobre a legitimidade democrática das instituições palestinas, incluindo sua própria presidência.

O desfecho de uma eleição poderia ter ganhos para o Hamas, o grupo islâmico militante que controla Gaza. Principal rival interno de Abbas, o Hamas é considerado um grupo terrorista por Israel, Estados Unidos e União Europeia, mas realizou uma campanha bem organizada para derrotar um Fatah semelhantemente dividido em 2006.

A disputa sobre Jerusalém foi a razão principal citada por Abbas em um discurso feito na manhã desta sexta-feira após uma reunião.

“Diante desta situação difícil, decidimos adiar a data da realização das eleições legislativas até a participação de Jerusalém e seu povo ser garantida”, disse Abbas no discurso transmitido na televisão palestina.

Desavenças internas surgiram no Fatah quando seu líder preso, Marwan Barghouti, e Nasser Al-Qudwa – sobrinho do falecido fundador do partido, Yasser Arafat – anunciaram um grupo de candidatos para concorrer contra a chapa oficial de Abbas.

(Reportagem adicional de Ismael Khader em Ramallah, Yosri al-Jammal em Hebron e Matt Spetalnick em Washington)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH3T0TW-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.