Inova Mais

Tribunal na Austrália conclui que Google enganou usuários sobre coleta de dados

Reuters
Reuters
Tribunal na Austrália conclui que Google enganou usuários sobre coleta de dados
Logo do Google fotografado em Pequim, China

16 de abril de 2021 - 15:02 - Atualizado em 16 de abril de 2021 - 15:06

Por Swati Pandey

SYDNEY (Reuters) – O tribunal federal da Austrália concluiu que o Google enganou alguns consumidores acerca de dados de localização pessoal coletados por dispositivos Android, disse o regulador de concorrência do país nesta sexta-feira.

A Comissão Australiana de Concorrência e Consumidores (ACCC, na sigla em inglês) disse que está buscando pronunciamento e penalidades contra o Google, embora não tenha especificado um valor.

“Esta é uma vitória importante para os consumidores, especialmente para qualquer um preocupado com sua privacidade online, já que a decisão do tribunal envia uma dura mensagem ao Google e a outras empresas de que eles não devem enganar seus clientes”, disse Rod Sims, presidente da ACCC, em um comunicado.

O caso gira em torno de configurações específicas do Google relacionadas à coleta de dados de localização, histórico de localização e “atividades na web e em aplicativos”.

O tribunal concluiu que o Google alegou erroneamente que só poderia coletar informações acerca do histórico de localização nos dispositivos de usuários entre janeiro de 2017 e dezembro de 2018. 

Uma ferramenta para controlar a atividade na web e em aplicativos, quando ativada, também permitia ao Google coletar, armazenar e usar os dados. Segundo o tribunal, essa ferramenta vinha ativada nas configurações padrão dos dispositivos. E os usuários não sabiam que desligar o histórico de localização, mas deixar a opção “Atividade na Web e em aplicativos” ativada, permitiria ao Google continuar a coletar dados, concluiu o tribunal.

Agora as autoridades devem decidir o que consideram uma infração e quantas ocorreram. Mas a Australian Broadcasting Corp (ABC), uma rede de televisão pública da Austrália, citou o presidente da ACCC, Rod Simms, dizendo que o regulador buscaria uma multa de “muitos milhões”.

“O tribunal rejeitou muitas das alegações mais amplas do ACCC. Discordamos das conclusões restantes e estamos analisando nossas opções, incluindo um possível recurso (para revisão de sentença)”, disse um porta-voz do Google.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH3F15C-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.