Inova Mais

Tribunal dos EUA rejeita proibição imediata do WeChat

Reuters
Reuters
Tribunal dos EUA rejeita proibição imediata do WeChat
(Blank Headline Received)

27 de outubro de 2020 - 11:17 - Atualizado em 27 de outubro de 2020 - 11:20

Por David Shepardson

(Reuters) – Um tribunal de apelações dos Estados Unidos rejeitou na segunda-feira um pedido do Departamento de Justiça que permitia ao governo proibir imediatamente a Apple e o Google, da Alphabet de disponibilizarem o WeChat, da Tencent, para download nas lojas de aplicativos do país.

O painel de três juízes do Tribunal de Apelações disse em que o governo não havia demonstrado que iria “sofrer um dano iminente e irreparável durante a pendência deste recurso, que está sendo acelerado”.

Na sexta-feira, um juiz em San Francisco rejeitou um pedido do Departamento de Justiça para reverter sua decisão de impedir a proibição do WeChat, que era buscada pelo Departamento de Comércio dos EUA em resposta a uma ação movida por usuários do WeChat.

Os usuários do WeChat disseram que a decisão evitará um “desligamento sem precedentes de uma grande plataforma de comunicações da qual milhões de pessoas contam nos Estados Unidos”.

O tribunal de apelações disse que o caso será colocado no cronograma de janeiro de 2021.

A Tencent e o Departamento de Comércio não comentaram imediatamente.

O WeChat tem uma média de 19 milhões de usuários ativos diários nos Estados Unidos. É popular entre estudantes chineses, norte-americanos que vivem na China e que têm relações pessoais ou de negócios na China.

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG9Q1D1-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.