4 de março de 2021 - 18:52

Atualizado em 4 de março de 2021 - 18:52

Mais dicas do Marcelo

Por José Nascimento

Mais dicas do Marcelo

Dica #7

Já ouviu falar de liderança andrógina?

Já escrevi aqui sobre alguns dos mitos que atrapalham o avanço das mulheres em posições de liderança nas empresas brasileiras. E recomendei que você assistisse ao TED da Sheryl Sandenberg, COO do Facebook, onde ela conclama os homens a assumirem seu papel de corresponsabilidade nos cuidados com a família e o lar.

Hoje a dica, sobre o mesmo tema, é o TED da Susan Colantuono. Recebi o link da minha amiga Margareth com a mensagem: ´olha aí o conselho que você me deu anos atrás´. Ela chegou a um cargo de diretoria e hoje é empreendedora. Fico feliz de ter dado uma pequena contribuição à sua carreira. Sem dar spoiler, Susan afirma que o aconselhamento dado à grande maioria das mulheres não é o que vai fazer a diferença para que elas avancem na hierarquia corporativa. Embasada em suas pesquisas ela fala sobre esses conselhos, explica por que são inócuos e, claro, revela o segredo para o sucesso. Assista!

Mas porque se preocupar com o tema diversidade de gênero?

Em primeiro lugar, porque é correto dar oportunidades iguais para todos. E, depois, porque homens e mulheres, de forma generalizada, agem de forma diferente e complementar no trabalho. Há momentos em que características de liderança ditas masculinas são mais eficazes e há outros em que precisamos de um olhar mais feminino. Quer um exemplo? No primeiro caso, o estouro de uma crise. E, no segundo, o seu prolongamento. Nada mais contemporâneo, não é?

Dica #8

Já leu a carta em que Jeff Bezos comunica aos trabalhadores da Amazon que passará o bastão do dia a dia para Andy Jassy?

Está aqui o link:

https://www.aboutamazon.com/news/company-news/email-from-jeff-bezos-to-employees

Algo muito difícil para um líder é saber a hora de sair de cena. Principalmente, quando as coisas estão indo bem. 

As cartas de Bezos são leitura obrigatória. Nesta ele demonstra proximidade, entusiasmo, confiança no futuro e reconhece e reforça alguns dos valores caros à Amazon. Ainda informa seus próximos passos e demonstra confiança em seu sucessor. Tudo isso em apenas dez parágrafos. Saber e ter o que dizer, dois aspectos fundamentais para uma boa comunicação. Se você precisa de mais de dois minutos para vender uma ideia…

Ideias! O que ele chama de invention, eis a base para o crescimento da empresa desde a garagem até empregar mais de um milhão de pessoas. ´Always Day 1´ – outro conceito que incentiva o intraempreendedorismo. Jeff (como ele assina a carta) reconhece a equipe e elenca uma série de iniciativas que demonstram como a empresa é vanguardista. Mais uma vez reforçando os valores da empresa. E, por fim, lembra que o trabalho pode ser divertido. Algo do qual frequentemente nos esquecemos.

A beleza da carta quase obscurece uma lição para gestores de empresas, membros de conselhos e heads de RH: o valor de uma sucessão bem feita. O anúncio da saída de Bezos não provocou reações adversas entre investidores. O preço da ação manteve sua rota ascendente.

Dica #9

Minha opinião é que se depender das grandes montadoras, levará uma década até termos carros autônomos nas nossas cidades. Não ficarei surpreso se o governo os proibir com a justificativa de proteger o emprego de motoristas, entregadores e caminhoneiros.

O que não nos damos conta é que já existem veículos autônomos aos milhares no agronegócio. Aqui mesmo no Brasil.  Nosso agronegócio é um dos mais avançados tecnologicamente. Além de colheitadeiras, ceifadeiras e caminhões autônomos, o agro brasileiro é tão eficiente por empregar drones, inteligência artificial e tecnologia IoT. Pra você ficar curioso: entre outras aplicações, os drones são utilizados para pesar os rebanhos no pasto.

Felizmente há empresas que não estão comprometidas com o status quo e pretendem disruptar a indústria automotiva também. Após 18 meses de testes, a empresa chinesa TuSimple foi autorizada a colocar 5000 caminhões autônomos em circulação ao longo de 2021. Os testes foram realizados com motoristas na carona e não houve registro de acidentes graves. A Tusimple já possui escritórios nos Estados Unidos, tem a Volkswagen entre seus investidores e pretende abrir capital na Bolsa de NY ainda este ano.

A visão do copo meio vazio sugere que 5000 motoristas perderão o emprego na Tusimple. Eu prefiro pensar que eles se verão livres de uma atividade extenuante, arriscada e de baixa remuneração.

Em vez de assumir uma atitude ludita ou defender medidas de proteção de mercado ou de emprego, precisamos investir urgentemente em inovação e upskilling e reskilling da nossa força de trabalho. Caso contrário, nosso país perderá competitividade. A China, mais uma vez, saiu na frente.

Dica #10

Por conta do período de exceção representado pela pandemia, a edição 2020 do relatório Empregos em Alta do LinkedIn avalia a evolução do mercado de empregos apenas durante os meses de abril a outubro daquele ano. Em anos anteriores, a comparação era feita para um período de cinco anos.

O reporte confirma algumas tendências que intuitivamente já havíamos identificado. Os cargos que mais cresceram podem ser divididos em três grandes categorias: saúde, digital e vendas.

Não é surpresa que a demanda por profissionais da área de saúde tenha crescido nesse período. Talvez ocorra uma redução com o final da pandemia, mas é certo que saúde mental e emocional vão ganhar maior relevância daqui pra frente.

Chamo de digital tudo aquilo que tem a ver com a utilização de novas tecnologias, seja marketing, devs, comércio eletrônico, conteúdo para mídias sociais ou análise de dados.

E, no afã por se reinventar ou recuperar a perda de vendas, funções como sucesso do cliente, telemarketing, desenvolvimento de negócios e de suporte a vendas online mereceram mais atenção por parte das empresas.

Mas do que o relatório não fala?

Bom, o LinkedIn deixa passar o fato de que o número de pessoas desempregadas cresceu no período da pesquisa. Outro ponto negativo, é que houve um significativo downgrade de funções, ou seja, trabalhadores perderam o emprego e retornaram ao mercado de trabalho para realizar tarefas para as quais estão sobre qualificados, mas com remuneração mais baixa.

E, por último, um alerta: as empresas estão se redesenhando. As áreas meio ou de suporte, aquelas que não estão diretamente na geração de receitas, estão encolhendo. Mais do que nunca está na hora de nos reinventarmos. Tem muita coisa mudando…

Durma-se com um barulho desses.

Outro dia um pai me perguntou, o que o meu filho precisa aprender pra estar bem-posicionado pro mercado de trabalho?

Minha resposta: você e ele precisam aprender a codar!

https://business.linkedin.com/pt-br/talent-solutions/resources/talent-acquisition/jobs-on-the-rise-cont-fact

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.