10 de agosto de 2020 - 08:30

Atualizado em 10 de agosto de 2020 - 14:14

Em tempos de “novo normal”, o primeiro texto a gente nunca esquece

Por José Nascimento

Em tempos de “novo normal”, o primeiro texto a gente nunca esquece

1988

O século, era o de número XX. O ano, como diriam os antigos, “idos de 1988”. 

Assunto: safra recorde de grãos. O Brasil atingia 100 milhões de toneladas. 

Veículo: jornal impresso. 

Registro fotográfico: moderna Yashica, com filme Kodak. 

Texto: escrito em laudas, a partir de uma jóia, uma Olivetti Lettera 88, disputada na redação, ocupada até então pelas Remington. 

Datilografia: “diferencial competitivo” para o profissional da época. 

Foi neste cenário que escrevi meu primeiro texto, no Jornal Diário da Manhã, de Ponta Grossa, como estagiário. 

2020

Hoje, 20 anos passados do século XXI, comemoro, novamente, mais um primeiro texto, aqui no RIC MAIS. O mundo é completamente diferente e, o cenário digno dos melhores roteiros de ficção, com coronavírus / covid-19. Antes de mais nada, é bom que se diga: a gripe é grave e mata. Previna-se!

Minha pauta inicial, a  pandemia, que nivelou o mundo e decretou o chamado “novo normal”, traz às nossas vidas uma revolução, que vai do “home-office”, “delivery”, tele-medicina, “lives”, reuniões e educação on-line até, pasmem, “drive-thru” de cultos e missas. Sinal dos tempos? Que nada!

Isso é muito bom, por incrível que pareça, pois mostra, mais uma vez, que o humano consegue superar barreiras.

Hoje ainda, num vídeo inicial que vou trazer pra cá, não vou contar a história de nenhum grande empreendedor, como alguns que têm passado pelo TOP DE GESTÃO, mas a história da Angel.

O pai, ex-pizzaiolo, junto com o irmão, inventou uma “food-bike”. O negócio da família percorre Curitiba, como flagramos em um bairro da cidade. Parada para a “pizza” e para gravar o “case”

Mundo 6.0  

Aos 52 anos, como o estagiário da foto deste “post”, sinto que estamos frente a frente com um novo mundo, sim, mas a pergunta é: 

– O que vamos fazer com ele? 

Nos eventos on-line, mentorias e aulas de pós que tenho ministrado via “apps” agora, tenho provocado: 

– Falamos em Indústria 4.0, mas quem vai sair na frente e desenhar o MUNDO 6.0? 

Mundo não mais da pós-modernidade ou era pós-Digital, mas pós-Covid19. Elon Musk “acelerou seu foguete”, ainda esta semana, para citar um extremo da INOVAÇÃO disruptiva. Laboratórios prometem vacina contra a Covid para logo e até pequenas empresas dão exemplos de reinvenção, o que é muito bom de ver, a despeito dos dias tensos. 

É neste cenário que o #TOPDEGESTAO comemora este espaço, justamente numa semana especial, onde o RIC mais, como nos foi comunicado ,“ rompe mais uma fronteira”, com um novo site e vislumbrando cenário superior a 10 milhões de usuários. 

Túnel do tempo

Da velha máquina de escrever, citada no início deste texto, até a era do “smartphone” e “notebook” de hoje em dia, jamais imaginava ter um canal capaz de atingir tanta gente.

Há mais de 5 anos uso as redes sociais para, de forma colaborativa, cidadã e voluntária, promover o empreendedorismo, boas práticas de gestão e a inovação com o #TOPDEGESTAO. Esta coluna, com certeza, será mais um canal, pelo qual manifesto GRATIDÃO ao Grupo RIC.

Como diz o povo desta geração, “bora conversar”, agora, não mais na velha Olivetti Lettera e jornal impresso, mas mundo mundo digital, on-line, on-demand e em real-time, via o RIC MAIS e outras canais, nas minhas andanças perseguindo novidades.

Fique a vontade para participar com comentários e sugestões de assuntos e cases para o #TOPDEGESTAO no RICMAIS. Aguardem – empregabililidade e empreendedorismo estão na nossa pauta, para uma série especial, em breve.

FRASE DO POST

“O analfabeto do Século XXI não será a pessoa que não souber ler ou escrever, mas quem não souber aprender, desaprender e reaprender”. Alvin Tofler