4 de março de 2021 - 18:51

Atualizado em 4 de março de 2021 - 18:53

Dicas do Marcelo

Por José Nascimento

Dicas do Marcelo

Dica #1

Uma pesquisa realizada pelo ThinkWork Lab entre agosto e setembro de 2020 com líderes de RH mostra que mais de 75% dos respondentes gostaria de desenvolver um mindset digital, investir em tecnologias aplicadas a RH e inovar nas práticas de gestão de pessoas, mas estão mesmo é presos na zona de conforto do dia a dia rodando a Folha, entrevistando, contratando e treinando gente com ferramentas do século passado.

Se você não levantar a cabeça pra ver o que está acontecendo ao seu redor e se forçar a ir na direção do novo, o mundo vai te atropelar. Já vi muito profissional de RH perder a vez para pessoas de Marketing, Engenharia e até Finanças. Bora desenvolver alguns skills necessários para as posições de c-level?

Aqui vão duas dicas:

A primeira é o próprio ThinkWork Lab, da jornalista Tatiana Sendim que liderou a Você RH antes de se jogar no mundo do empreendedorismo. Dá um google no nome dela pra ver o que mais ela já fez. A recém-lançada plataforma será um hub de conteúdo e conexões para gestores de pessoas com artigos, cases, pesquisas e trilhas de desenvolvimento. Promete!

A próxima é o livro Transformação Digital (TD) do Antonio Salvador e Daniel Castello publicado pelo Atelier de Conteúdo. Os autores possuem experiência invejável na vanguarda da TD em grandes empresas aqui e lá fora. Qual será o lugar da sua empresa no novo mundo digital? E qual será o papel do seu RH nessa jornada? O livro, com exemplos de empresas como Gerdau, Ambev e GPA, propõe um roadmap para os mais ousados.

#vemjunto

Dica #2

Muito se fala sobre a inequidade de gênero nas organizações. A presença de mulheres em posições de liderança é notoriamente menor que a sua representatividade no mercado de trabalho. Basta levantar a cabeça e olhar por cima da sua baia de trabalho para constatar essa realidade. Outra verdade não tão evidente, é que as mulheres, na média, ganham menos que seus pares do sexo oposto. E isso é assim no governo, empresas e instituições do terceiro setor. Pesquise um pouco na internet e você encontrará estudos de fontes sérias com números que caracterizam bem esse problema.

Vou citar apenas um argumento utilizado por aqueles que tentam justificar e preservar o status quo: ´mulheres não são tão ambiciosas quanto os homens´. E, novamente, #ficaadica: estudos mostram que mulheres e homens são igualmente ambiciosos quando o tema é uma carreira corporativa.

Contra dados, não há falação…

Embora já exista, além da fala, muita ação, o ponteiro pouco se move. Muitas empresas possuem programas de mentoria, cotas nas contratações e promoções, ações de apoio à maternidade etc. Porém, desconfio que, embora bem intencionadas, a maioria dessas iniciativas não abordem a causa raiz do problema. Algumas das pretensas soluções mascaram ou até aprofundam o problema. Um estudo da professora da FGV, Cecilia Machado, mostra que quase 50% das mulheres perdem o emprego em até 24 meses após a licença maternidade. (o estudo está disponível para download no site da instituição)

Essa informação e o TED com Sheryl Sandberg do Facebook
https://www.ted.com/talks/sheryl_sandberg_why_we_have_too_few_women_leaders nos dão algumas pistas do que pode funcionar:

  • O homem definitivamente assumir o seu papel dentro do lar; e,
  • A criação de uma licença paternidade com as mesmas regras que a licença maternidade. (Repare que não estou advogando a favor dos homens quando faço essa proposta)

Dica #3

Você gosta de assistir às TED Talks?

Dá uma olhada lá. Além de ideias incríveis, você vai ver como os palestrantes conseguem falar sobre elas e conquistar plateias inteligentes em apenas alguns minutos.

O que me faz lembrar um episódio que vivi durante um curso na Columbia University.

Almoçando com um estudante, movido pela mais pura curiosidade, perguntei-lhe sobre o tema da sua pesquisa de doutorado. Para minha surpresa ele respondeu: “É complexa demais para falarmos durante o tempo que temos para o almoço”. Acho que o seu choque foi ainda maior quando eu, de bate pronto, comentei: “Se você não consegue me dizer o seu interesse de pesquisa em dois minutos, é porque você não sabe o que é”. #prontofalei

Nunca mais nos falamos… Fiquei sem saber qual era o tema e tampouco sei se ele concluiu o curso.

E você, de quanto tempo precisa para vender uma boa ideia?

Dica #4

Eu gosto de um pouco de controvérsia!

Salário, certamente, é um tema que pode render poucas e boas. Corre lá e assista ao TED do David Burkus. Você concorda que deve saber quanto seus colegas de empresa ganham? Mas isso que dizer que eles também podem conhecer o quanto você ganha em salários, bônus e benefícios? E agora, continua concordando com a ideia?

Segundo Burkus, isso resolveria uma série de problemas que temos dentro das organizações hoje. Inclusive, a disparidade de salários entre gêneros. Será?

Na maioria das empresas, o tema remuneração é o que obtém as notas mais baixas nas pesquisas de engajamento ou clima. E, na minha experiência, algumas ações simples podem melhorar muito esse ponto. Em uma das empresas onde trabalhei, consegui melhorar a satisfação dos funcionários no quesito remuneração em mais de 40% apenas com mais informação e transparência. Não, eu não segui o conselho do David e também não gastei um tostão a mais.

Através de workshops regulares, divulgamos a filosofia de remuneração da empresa: resultados da pesquisa de mercado, faixas e política de posicionamento, estratégia de bonificação, valores de orçamento para ajuste, mérito e promoções. Todos os líderes foram treinados e empoderados para tomar as decisões de administração salarial e comunicá-las às suas equipes. Os colaboradores também passaram a receber um extrato com detalhamento do seu pacote anual.

Isso não quer dizer que todos ficaram satisfeitos com seu salário, mas pelo menos passaram a entendê-lo. Tiramos um monte de ruído do sistema.

Quer conhecer uma maneira ainda mais arrojada de administrar salários? Quem trabalha para o empresário brasileiro Ricardo Semler, define o próprio salário.

Link para a TED Talk do David Brukus: https://www.ted.com/talks/david_burkus_why_you_should_know_how_much_your_coworkers_get_paid

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.