Inova Mais

Signal vai contratar mais pessoal após salto em downloads

Reuters
Reuters
Signal vai contratar mais pessoal após salto em downloads
Ilustração do logotipo da Signal

13 de janeiro de 2021 - 13:56 - Atualizado em 13 de janeiro de 2021 - 14:00

Por Munsif Vengattil e Eva Mathews

BANGALORE, Índia (Reuters) – O aplicativo de mensagens Signal teve um crescimento “sem precedentes” após a polêmica atualização nos termos de privacidade do WhatsApp e pretende contratar mais funcionários para reforçar o serviço e a infraestrutura de suporte, disse o chefe de sua controladora nesta quarta-feira.

Junto com outro aplicativo criptografado, o Telegram, o Signal tem sido o principal beneficiário da indignação online em torno das mudanças anunciadas na semana passada pelo WhatsApp, que exigem que os usuários compartilhem seus dados com o Facebook e o Instagram.

O Telegram disse nesta quarta-feira que ultrapassou 500 milhões de usuários ativos globalmente.

Brian Acton, que co-fundou o WhatsApp antes de vendê-lo ao Facebook e depois fundou a Signal Foundation, se recusou a fornecer dados equivalentes para o Signal, mas disse que a expansão nos últimos dias foi “vertical”.

“Vimos um crescimento sem precedentes na semana passada”, disse Acton à Reuters. “É seguro dizer que por causa desse crescimento recorde, estamos ainda mais interessados em encontrar pessoas talentosas.”

Ele afirmou que a Signal está trabalhando para melhorar as funções de vídeo e chat em grupo, permitindo ao app competir melhor com WhatsApp, Microsoft Teams e outros aplicativos de videoconferência.

O Signal foi baixado por 17,8 milhões de usuários nos últimos sete dias, um aumento de 62 vezes em relação à semana anterior, de acordo com dados da empresa de pesquisa de mercado Sensor Tower. O WhatsApp foi baixado por 10,6 milhões de usuários durante o mesmo período, uma queda de 17%.

Defensores dos direitos à privacidade se indignaram com as mudanças no WhatsApp, apontando para o que eles dizem ser um histórico ruim do Facebook em apoiar os interesses dos consumidores ao lidar com seus dados, com muitos sugerindo que os usuários migrem para outras plataformas.

A Signal Foundation, sem fins lucrativos, sediada no Vale do Silício, que atualmente é responsável pelo aplicativo, foi lançada em fevereiro de 2018 com Acton fornecendo um financiamento inicial de 50 milhões de dólares.

Desde então, a Signal recebeu doações. O presidente-executivo da Tesla, Elon Musk, está entre os apoiadores do aplicativo e Acton disse que não há planos de buscar fontes diferentes de financiamento.

“Milhões de pessoas valorizam a privacidade o suficiente para sustentá-la e estamos tentando demonstrar que há uma alternativa aos modelos de negócios baseados em anúncios que exploram a privacidade do usuário”, disse Acton, acrescentando que as doações continuam “chegando”.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH0C1DP-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.