Inova Mais

Sense Photonics entra em mercado de direção autônoma com nova tecnologia de sensor

Reuters
Reuters

8 de janeiro de 2021 - 16:36 - Atualizado em 8 de janeiro de 2021 - 16:36

Por Stephen Nellis

SÃO FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) – A Sense Photonics desenvolveu uma nova tecnologia de detecção que atinge um marco importante necessário para carros autônomos, disse a empresa de sensores a laser nesta sexta-feira.

A empresa liderada pela veterana da indústria automotiva e ex-executiva do Google Shauna McIntyre está desenvolvendo um sensor lidar que usa laser para ajudar veículos autônomos a obterem visão tridimensional da estrada.

A Sense disse à Reuters que sua nova tecnologia pode detectar objetos a 200 metros. Analistas do setor acreditam que o lidar pode se tornar um componente importante dos veículos avançados nos próximos anos, como um complemento para câmeras e sensores baseados em radar.

O alcance de 200 metros é uma referência que muitas empresas lidar estabeleceram para a direção em rodovias enquanto buscam acordos com fabricantes automotivos.

Pelo menos cinco empresas lidar, incluindo Velodyne Lidar e Luminar Technologies, listaram ações no ano passado ou estão em processo de fazê-lo.

Mas a Sense, que foi fundada em 2016 e arrecadou 40 milhões de dólares da Samsung Ventures e da Shell Ventures, manteve um perfil discreto.

A empresa contratou McIntyre como presidente-executiva no ano passado. Ela começou a carreira em uma fábrica da Ford, também trabalhou na área de turbocompressores da Honeywell International e supervisionou os programas automotivos do Google Maps.

McIntyre disse que a tecnologia da Sense é projetada para não usar peças móveis, eliminando a necessidade de alinhamento preciso dos emissores e detectores de laser dos sensores. O sistema é proprietário da empresa e usa o que é chamado de diodo de avalanche de fóton único.

O preço-alvo da Sense para os novos sensores será “na casa das centenas de dólares, não milhares, para aplicações automotivas de alto volume”, disse ela à Reuters.

“Estamos conversando com as montadoras agora para o início da produção em 2024”, disse ela.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.