Inova Mais

Relator, Gilmar Mendes vota contra ação da PGR que pode encarecer custo do 5G no Brasil

Reuters
Reuters
Relator, Gilmar Mendes vota contra ação da PGR que pode encarecer custo do 5G no Brasil
Ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF)

17 de fevereiro de 2021 - 18:59 - Atualizado em 17 de fevereiro de 2021 - 19:00

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) – O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou nesta quarta-feira contra a ação movida pela Procuradoria-Geral da República (PGR) que pede o fim do direito à gratuidade de passagem em vias públicas da infraestrutura do serviço de telefonia no país e que, se aceita pelo tribunal, poderá encarecer o custo de implementação da tecnologia 5G no Brasil.

A discussão no STF refere-se a um trecho da Lei Geral de Antenas, em vigor há mais de cinco anos e que o procurador-geral da República, Augusto Aras, questionou no STF em julho do ano passado.

Mendes, relator da ação, argumentou em seu voto que a norma questionada pela PGR é adequada, razoável e proporcional. Ele disse que a legislação federal poderia sim impedir a cobrança pelo uso dessa infraestrutura com o objetivo de garantir a universalização e a prestação eficiente dos serviços de telecomunicações.

“Não antevejo qualquer violação constitucional ao direito de propriedade”, disse ele.

Ao final do voto do relator, o presidente do STF, Luiz Fux, anunciou que o julgamento será retomado em plenário na quinta-feira com os votos dos demais ministros da Corte.

O governo federal tentará realizar o leilão do 5G ainda neste semestre após atrasos no calendário em meio a uma série de embates de autoridades brasileiras — inclusive o presidente Jair Bolsonaro — com a provável participação da fornecedora de equipamentos chinesa Huawei.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH1G1PZ-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.