Inova Mais

Presidente do Google se desculpa com autoridade da UE após vazamento de documento

Reuters
Reuters
Presidente do Google se desculpa com autoridade da UE após vazamento de documento
.

13 de novembro de 2020 - 11:08 - Atualizado em 13 de novembro de 2020 - 11:10

Por Foo Yun Chee

BRUXELAS (Reuters) – O presidente-executivo da Alphabet, Sundar Pichai, se desculpou com o chefe da indústria da Europa, Thierry Breton, por causa de um documento interno propondo maneiras de combater as novas regras da UE para empresas de tecnologia.

Pichai e Breton conversaram sobre seus pontos de vista em uma videoconferência na noite de quinta-feira, a terceira deste ano, de acordo com comunicado da Comissão Europeia.

“A internet não pode permanecer um velho oeste: precisamos de regras claras e transparentes, ambiente de mercado previsível e direitos e obrigações equilibrados”, disse Breton a Pichai.

A ligação ocorreu após um documento interno do Google delinear uma estratégia de 60 dias para conter a iniciativa da União Europeia para as novas regras, fazendo com que aliados dos EUA se posicionassem contra Breton.

A ligação foi iniciada pelo Google antes que o documento vazasse.

Breton mostrou o documento vazado a Pichai durante a ligação e disse que não havia necessidade de usar táticas do século passado e jogar uma unidade da Comissão Europeia contra outra, disse uma pessoa familiarizada com o assunto.

Pichai se desculpou pela forma como o documento foi divulgado, artigo que ele disse que não viu e não assinou, dizendo que se envolverá diretamente com Breton se identificar uma linguagem ou política que visam especificamente o Google, disse outra pessoa.

O Google disse que a conversa foi franca e aberta.

O incidente destaca o intenso lobby das empresas de tecnologia contra as regras da UE, o que poderia impedir seus negócios e forçar mudanças na forma como operam.

Breton anunciará um novo projeto de regras conhecido como Lei de Serviços Digitais e Lei de Mercados Digitais, juntamente com a Comissária Europeia da Concorrência, Margrethe Vestager, em 2 de dezembro.

((Tradução Redação São Paulo; 55 11 56447727))

REUTERS PS AAP

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEGAC11V-BASEIMAGE