Inova Mais

Mulheres que inovam em segmentos tradicionais da economia

A médica Caroline Tatim Saad e a advogada Luiza Adena Engers incluíram tecnologia e inovação em seus segmentos de atuação com resultados positivos 

Jhonas
Jhonas Campos / Hayes
Mulheres que inovam em segmentos tradicionais da economia

21 de julho de 2020 - 14:34 - Atualizado em 21 de julho de 2020 - 15:02

Extremamente conectadas com tudo o que é novo, as mulheres possuem uma vocação natural para inovar. Para provar essa teoria, o Inova Mais apresenta mais duas mulheres inovadoras do Paraná que estão transformando, com criatividade e tecnologia, setores tradicionais da economia como o de saúde e jurídico.  

Caroline Tatim Saad, médica especialista em gastroenterologia e endoscopia digestiva e fundadora das startups SantéMed e ConsultaMe 

Formada em Medicina com especialização em Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva, Caroline Tatim Saad sempre percebeu inúmera falhas na gestão das clínicas em que trabalhou. “A inquietação em relação a gestão das clínicas, otimização de processos e melhoria de fluxos de atendimento culminou na criação da empresa SantéMed, em 2015. Como sócia e co-fundadora fiz parte do processo de desenvolvimento dessa empresa que não para de crescer. Me apaixonei pelo empreendedorismo e sempre busco novas oportunidades de inovar na minha área”, revela Carolina. 

Outro tema que deixava a médica gastroenterologista ponta-grossense fascinada era a Telemedicina. “Desenvolver essa tecnologia era uma ideia que já tínhamos há algum tempo e com a COVID-19 e, a necessidade de distanciamento social necessário para preservar as equipes de saúde e população, não poderíamos deixar a população desamparada. Então, o ConsultaMe que era um projeto embrionário, foi acelerado e finalizado durante a pandemia”, conta.

Sobre a SantéMed 

A SantéMed é uma plataforma Gestão em Saúde que contempla o fluxo completo de uma clínica, com agendamento, confirmação automatizada, consulta por meio de prontuário intuitivo e personalizável, emissão de receitas e exames. Além de incluir outras funcionalidades como gestão financeira, plataforma de pagamento, controle de estoque, emissão de notas fiscais, dentre outras. A plataforma é integrada, segura, intuitiva e baseada na web. 

“A SantéMed foi criada em 2015, quando desenvolvemos o nosso MVP, e entramos no mercado em 2017. Desde então participamos de inúmeros programas de tração (Inovativa, Biominas, Ace, Sebrae) e ganhamos o Stratup Sebrae Paraná. Temos centenas de clientes em todos os estados do Brasil. Nossa missão é cuidar da gestão das clínicas para que os médicos possam se dedicar ao atendimento do seus pacientes”, explica Caroline Tatim Saad. 

Sobre o ConsultaMe 

O ConsultaMe é um aplicativo que contempla todo o ciclo de uma consulta realizada por meio da Telemedicina. O app permite o atendimento a milhares de pessoas sem o contato físico de forma remota. O agendamento, atendimento por vídeo chamada, emissão de receitas e solicitação de exames com assinatura digital por SMS, controle do histórico de consultas, solicitação de novos agendamentos e busca por médicos são alguns dos recursos disponibilizados pelo ConsultaMe. 

Todas as atividades que rodam no aplicativo são integradas, criptografadas para segurança de dados e respeitam as regras de sigilo e confidencialidade exigidas pelo Conselho Federal de Medicina.

O ConsultaMe foi lançado há poucos meses e, apesar do curto período, já possui dezenas de médicos que utilizam a plataforma e excelentes avaliações por parte dos pacientes. “Estamos aproximando médicos e pacientes, com o intuito de salvar milhares de vidas nesse momento tão difícil”, finaliza a médica e empreendedora.  

Facebook

Instagram

Site

Luiza Adena Engers, advogada e fundadora da Arbi-ON  

Desde muito jovem Luiza Adena Engers sentia um impulso em direção a realizar projetos que pudessem fazer a diferença na vida das pessoas. “Sempre me envolvi com projetos sociais e, para poder lutar contra injustiças que nunca deixaram de me inquietar, escolhi estudar Direito. Durante os anos acadêmicos me envolvi com a Clínica de Direitos Humanos da PUCPR, com atendimento jurídico e intensos grupos de estudos. Faltando 3 meses para me formar, o assunto inovação no Direito atraiu minha curiosidade. Vi que a Comissão de Inovação e Gestão da OABPR havia aberto inscrição para grupos de discussão em matérias específicas de tecnologia, focados na sua aplicação no Direito”, recorda a advogada. 

O ditado a “Justiça tarda, mas não falha” sempre incomodou Luiza. “Pensava nos meus pais, pequenos empreendedores que não sobreviveriam a qualquer disputa que os levasse a aguentar anos de ação judicial. Por isso, comecei a ver na arbitragem uma ótima alternativa para resolver conflitos de forma rápida. Porém, apesar de ser reconhecida por lei os custos da arbitragem tradicional ainda são proibitivos para pessoas com meus pais, por exemplo”, conta.

Com estas reflexões borbulhando em sua mente, a então estudante de Direito teve a ideia de criar uma plataforma de arbitragem online. O objetivo era reduzir a zero os custos com trâmites físicos do processo, passagens aéreas e estrutura de uma sede. Assim, o procedimento ficaria ainda mais rápido, sem perder a validade jurídica e a qualidade técnica esperada na arbitragem.  A plataforma criada pela Luiza Adena Engers transfere o procedimento manual para o ambiente virtual com o que há de melhor em termos de segurança cibernética no mercado. 

Sobre a Arbi-ON  

A Arbi-ON é uma plataforma de arbitragem online criada para unir o melhor da inovação, da arbitragem e do Poder Judiciário. “O Poder Judiciário é economicamente acessível e respeita o artigo 5º, XXXV da Constituição Federal de acesso à Justiça. No entanto, esta Justiça prestada pelo Poder Público pode ser tão cara e demorada que perde sua eficiência”, alerta Luiza. 

A arbitragem, por sua vez, é um método de resolução de conflitos alternativo, no qual as partes definem que terceiros imparciais e independentes irão solucionar a controvérsia apresentada pelas partes. Normalmente administrada por uma instituição chamada Câmara de Arbitragem,  a arbitragem tradicional é bem mais rápida do que o procedimento judiciário. 

Além disso, ela se destaca pela especialidade técnica dos árbitros que são “juízes” do processo arbitral. Porém, a arbitragem tradicional possui custos altos e acaba reservada às causas milionárias. A Arbi-ON une a eficiência da arbitragem – celeridade, especialidade técnica, flexibilidade e confidencialidade – com preços acessíveis e tecnologia. 

Desde seu lançamento, a Arbi-ON vem causando grande impacto na comunidade jurídica e incentivando iniciativas de tecnologia aplicadas ao Direito, como o patrocínio do Global Legal Hackathon de 2020. A plataforma já foi citada como exemplo de inovação em diversas palestras, em sala de aula e conquista os primeiros clientes. 

Facebook

Instagram

Site