Inova Mais

Juíza dos EUA reduz processo contra Zoom sobre privacidade dos usuários

Reuters
Reuters
Juíza dos EUA reduz processo contra Zoom sobre privacidade dos usuários
.

12 de março de 2021 - 15:51 - Atualizado em 12 de março de 2021 - 15:56

Por Jonathan Stempel

NOVA YORK (Reuters) – Uma juíza dos Estados Unidos desconsiderou grandes partes de um processo que acusa a Zoom Video de violar direitos dos usuários ao compartilhar informações deles com Facebook, Google e LinkedIn, e de permitir que intrusos invadissem reuniões privadas na plataforma.

A magistrada Lucy Koh desconsiderou várias acusações no processo coletivo, incluindo invasão de privacidade, negligência e violações legislações de defesa dos consumidores e contra hackers da Califórnia.

A juíza afirmou que os queixosos não conseguiram provar que a Zoom compartilhou ou vendeu dados deles sem permissão. Afirmou ainda que a plataforma está “praticamente” imune de acusações sobre conteúdo, no caso das invasões das reuniões.

Os advogados dos queixosos não comentaram o assunto nesta sexta-feira. Um advogado da Zoom também não se manifestou.

A base de usuários da empresa cresceu mais de quatro vezes desde o início do ano passado, impulsionada pela pandemia. O valor da ação da Zoom mais que triplicou desde que a OMS declarou pandemia em 11 de março de 2020. Nesta sexta-feira, o papel exibia queda de 2,8% na Nasdaq.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH2B1GG-BASEIMAGE