Inova Mais

França quer que UE avance com imposto digital se esforços globais falharem

Reuters
Reuters
França quer que UE avance com imposto digital se esforços globais falharem
(Blank Headline Received)

11 de setembro de 2020 - 11:49 - Atualizado em 15 de setembro de 2020 - 06:53

Por Michael Nienaber e Benoit Van Overstraeten

BERLIM (Reuters) – A União Europeia deve implementar seu próprio imposto digital no primeiro trimestre de 2021, se os esforços mais amplos para encontrar uma solução internacional não mostrarem avanços neste ano, disse o ministro das finanças francês nesta sexta-feira.

Quase 140 países estão negociando atualmente a primeira grande reformulação das regras tributárias internacionais em uma geração para lidar com o crescimento de grandes empresas digitais.

Com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) ainda devendo um plano para o acordo para o mês que vem, o objetivo de definir as regras até o final do ano parece cada vez mais desafiador.

Falando a repórteres antes de uma reunião de ministros de finanças europeus em Berlim, o francês Bruno Le Maire disse que busca um sistema tributário internacional justo e eficiente o mais rápido possível e de preferência dentro da estrutura da OCDE.

“Se você olhar para as consequências da crise econômica, os únicos vencedores são as gigantes digitais”, disse Le Maire.

“Quero deixar as coisas muito claras: se não for possível chegar a um consenso no final deste ano ao nível da OCDE … deveríamos ter, no início do próximo ano, 2021, uma solução europeia para tributação digital.”

Le Maire acusou os Estados Unidos de tentar prejudicar as negociações internacionais para atualizar a tributação internacional para a era digital.

O ministro das Finanças alemão, Olaf Scholz, disse que os ministros das finanças da UE discutiriam a situação e como proceder no assunto.

“Estamos trabalhando muito para obter um plano sobre a questão da tributação digital na OCDE”, disse Scholz.

“E trabalharemos para tornar viável um consenso global sobre esta questão.”

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG8A1B1-BASEIMAGE