Inova Mais

Facebook enfrenta perspectiva de proibição “devastadora” de transferência de dados após decisão na Irlanda

Reuters
Reuters
Facebook enfrenta perspectiva de proibição “devastadora” de transferência de dados após decisão na Irlanda
Facebook

14 de maio de 2021 - 14:08 - Atualizado em 14 de maio de 2021 - 14:11

Por Conor Humphries e Douglas Busvine

DUBLIN (Reuters) – O regulador de dados da Irlanda pode retomar uma investigação que pode desencadear na proibição das transferências transatlânticas de dados do Facebook, decidiu a Suprema Corte irlandesa nesta sexta-feira, suscitando a perspectiva de uma paralisação que, segundo a empresa, teria um impacto devastador em seu o negócio.

O caso decorre de preocupações da União Europeia de que a supervisão do governo norte-americano pode não respeitar os direitos de privacidade dos cidadãos do bloco europeu quando seus dados pessoais são enviados aos Estados Unidos para uso comercial.

O Data Protection Commissioner (DPC) da Irlanda, principal regulador do Facebook na UE, abriu uma investigação em agosto e emitiu uma medida provisória que determina que o principal mecanismo que o Facebook usa para transferir dados de usuários da UE para os EUA “não pode ser usado na prática”.

O Facebook contestou a investigação e a decisão preliminar (PDD), argumentando que elas ameaçavam consequências “devastadoras” e “irreversíveis” para seus negócios, que dependem do processamento de dados do usuário para veicular anúncios online direcionados.

O Tribunal Superior rejeitou o recurso nesta sexta-feira.

“Eu recuso todas as medidas solicitadas pelo FBI (Facebook Ireland) e rejeito as alegações feitas por ele no processo”, disse o juiz David Barniville em uma decisão que chegou a quase 200 páginas.

“O FBI não estabeleceu nenhuma base para contestar a decisão do DPC ou o PDD ou os procedimentos para a investigação adotados pelo DPC”, disse o veredicto.

Embora a decisão não acione a interrupção imediata do fluxo de dados, o ativista austríaco de privacidade Max Schrems, que forçou o regulador irlandês de dados a agir em uma série de ações judiciais nos últimos oito anos, disse acreditar que a decisão a tornou inevitável.

“Depois de oito anos, o DPC agora é obrigado a interromper as transferências de dados UE-EUA do Facebook, provavelmente antes do verão”, disse.

Um porta-voz do Facebook disse que a empresa espera defender seu compliance com as regras de dados da UE, já que a medida provisória do regulador irlandês “pode ser prejudicial não apenas para o Facebook, mas também para usuários e outras empresas”.

(Reportagem de Conor Humphries, Douglas Busvine e Padraic Halpin)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH4D11Z-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.