Inova Mais

China prefere que TikTok feche operações nos EUA do que uma venda forçada, dizem fontes

Reuters
Reuters
China prefere que TikTok feche operações nos EUA do que uma venda forçada, dizem fontes
.

11 de setembro de 2020 - 14:54 - Atualizado em 15 de setembro de 2020 - 06:52

Por Keith Zhai e Yingzhi Yang e Julie Zhu

(Reuters) – Pequim se opõe a uma venda forçada das operações do TikTok nos Estados Unidos e prefere ver o aplicativo ser proibido no país, disseram três pessoas com conhecimento direto do assunto nesta sexta-feira.

A ByteDance tem negociado a venda das operações norte-americanas do TikTok com potenciais compradores, incluindo Microsoft e Oracle, desde que o presidente dos EUA, Donald Trump ameaçou no mês passado proibir o serviço se ele não for vendido até meados de setembro.

Mas autoridades chinesas avaliam que uma venda forçada faria com que a ByteDance, dona do aplicativo, e a China parecessem fracos diante da pressão de Washington, disseram as fontes.

A ByteDance disse à Reuters que o governo chinês nunca sugeriu fechar o TikTok nos EUA ou em qualquer outro mercado.

Duas das fontes disseram que a China está disposta a usar as revisões feitas em uma lista de exportações de tecnologia em 28 de agosto para atrasar qualquer acordo fechado pela ByteDance, caso necessário.

O Escritório de Informações do Conselho de Estado da China e seus ministérios de Comércio Exterior e Comércio não responderam imediatamente aos pedidos de comentários da Reuters.

Perguntado sobre Trump e o TikTok, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, disse a jornalistas que os EUA estão abusando do conceito de segurança nacional e os instou a parar de oprimir empresas estrangeiras.

((Tradução Redação São Paulo; 55 11 56447727))

REUTERS PS AAP

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG8A1MS-BASEIMAGE