Notícias

Índice de infestação do Aedes aegypti em Maringá é baixo, afirma prefeitura

O LIRA aponta que o índice de infestação predial é de 0,6% na cidade, considerado risco baixo pela Prefeitura

Renan
Renan Vallim / Repórter
Índice de infestação do Aedes aegypti em Maringá é baixo, afirma prefeitura
(Foto: Prefeitura de Maringá / Arquivo)

17 de julho de 2021 - 11:17 - Atualizado em 17 de julho de 2021 - 11:39

O terceiro levantamento do Índice de Infestação do Aedes Aegypti de Maringá (LIRA) de 2021 aponta que o índice de infestação predial é de 0,6%, considerado risco baixo pela Prefeitura. O levantamento da Prefeitura se refere ao período de 5 a 9 de julho deste ano e será apresentado para as equipes internas da Secretaria Municipal de Saúde no dia 27 de julho.

O secretário de Saúde de Maringá, Marcelo Puzzi,, reforça a importância de seguir o combate à dengue com ações de prevenção. “Não devemos relaxar com os cuidados diários e manutenção de nossos quintais sempre limpos. A dengue deve ser combatida todos os dias”.

O LIRA permite o monitoramento da dengue em todos os bairros do município. Os números são fundamentais para organizar estratégias de prevenção e combate. “O índice significa que foram encontradas larvas em 0,6% dos imóveis das residências avaliadas. Índice este muito bom e com a volta do frio, a tendência é que os números melhorem ainda mais. No entanto, não podemos descuidar das campanhas de combate a dengue”, explicou o gerente de zoonoses Eduardo Alcântara.

Mutirões

Em parceria com a Secretaria de Limpeza Urbana (SELURB) e Secretaria de Meio Ambiente (SEMA), a Secretaria de Saúde de Maringá realiza ações em bairros com maior índice de larvas, conforme o último LIRA, e nas regiões com maior número de casos.

Já foram realizados os mutirões de coleta seletiva nas regiões da UBS Pinheiros, UBS Piatã e UBS Ney Braga, por serem locais que apresentaram mais casos no primeiro semestre de 2021.

Continuamente é realizado o “bloqueio” no entorno de residências que apresentaram casos suspeitos de Dengue, com vistoria nos imóveis e aplicação de inseticida com uso de bomba costal.

A Diretora de Vigilância em Saúde, Daiane Camacho, reforça os cuidados que devemos ter em nossas residências para que os casos de dengue e o índice de infestação predial se mantenham baixos. “Pedimos a colaboração da população na recepção dos agentes de combate à dengue em suas residências, permitindo que os mesmos possam realizar as vistorias, bem como, que os moradores coloquem em prática as orientações de limpeza semanal dos quintais e eliminação dos focos de dengue em seus imóveis. É um dever de todos”, afirma.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.