Economia

Indicador de incerteza sobe 2,7 pontos em setembro ante agosto, diz FGV

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

30 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 30 de setembro de 2019 - 00:00

O Indicador de Incerteza da Economia Brasileira (IIE-Br) subiu 2,7 pontos na passagem de agosto para setembro, alcançando 116,9 pontos, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). Com o resultado, o indicador persiste na região de incerteza elevada (acima de 110 pontos).

“Assim como no mês passado, a alta do Indicador de Incerteza brasileiro em setembro foi motivada majoritariamente por questões externas como a tensão comercial entre EUA e China e a possibilidade de uma desaceleração mais forte da economia mundial em 2020. Mas neste mês fatores internos também contribuíram para a evolução desfavorável do indicador, com destaque para temas como a reforma tributária e a dúvidas quanto ao ritmo de crescimento da economia brasileira”, avaliou Aloisio Campelo Júnior, superintendente de Estatísticas Públicas do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

O IIE-Br é composto por dois componentes: o IIE-Br Mídia, que faz o mapeamento nos principais jornais da frequência de notícias com menção à incerteza; e o IIE-Br Expectativa, que é construído a partir das dispersões das previsões para a taxa de câmbio e para o IPCA.

Em setembro, o componente de Mídia subiu 1,5 ponto, para 115,9 pontos, contribuindo com 1,4 ponto para a média global. Já o componente de Expectativa, aumentou 5,8 pontos, para 113,7 pontos, contribuindo com 1,3 ponto para o indicador.

A coleta do Indicador de Incerteza da Economia Brasileira é realizada entre o dia 26 do mês anterior ao dia 24 do mês de referência.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.