Notícias

Índia se aproxima de 20 milhões de casos de Covid, especialistas pedem isolamento

Reuters
Reuters
Índia se aproxima de 20 milhões de casos de Covid, especialistas pedem isolamento
Homem ao lado da esposa que recebe suporte de oxigênio do lado de fora de templo em Ghaziabad, na Índia

3 de maio de 2021 - 08:42 - Atualizado em 3 de maio de 2021 - 08:45

Por Tanvi Mehta e Shilpa Jamkhandikar

NOVA DÉLHI/MUMBAI (Reuters) – A Índia relatou mais de 300 mil infecções novas pelo coronavírus pelo 12º dia seguido nesta segunda-feira, o que elevou seu número total de casos a quase 20 milhões, e cientistas previram um pico da pandemia nos próximos dias.

Com 368.147 casos novos nas ultimas 24 horas, o total de infecções do país está em 19,93 milhões, e as mortes aumentaram 3.417 e chegaram a 218.959, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Especialistas médicos dizem que os números reais no país de 1,35 bilhão de habitantes podem ser de cinco a 10 vezes superiores à contagem oficial.

O Ministério da Saúde ofereceu um vislumbre de esperança ao relatar que nesta segunda-feira os casos positivos caíram em relação ao número de exames pela primeira vez desde ao menos 15 de abril.

Os casos de coronavírus da Índia podem atingir o pico entre 3 e 5 de maio, segundo um modelo matemático de uma equipe de cientistas que aconselha o governo –alguns dias antes de uma estimativa prévia, já que o vírus se dissemina mais rápido do que o esperado.

Hospitais estão completamente cheios, os suprimentos de oxigênio médico estão escassos e necrotérios e crematórios estão lotados enquanto o país lida com a disparada de casos.

Ao menos 11 Estados e territórios impuseram algum tipo de restrição para tentar conter as infecções, mas o governo do primeiro-ministro, Narendra Modi, reluta em anunciar um lockdown nacional devido à preocupação com o impacto econômico.

“Em minha opinião, só uma ordem nacional de permanência em casa e a declaração de uma emergência médica ajudarão a enfrentar as atuais necessidades de cuidados de saúde”, disse Bhramar Mukherjee, epidemiologista da Universidade do Michigan, no Twitter.

A disparada de infecções é a maior crise indiana desde que Modi tomou posse, em 2014. O premiê é criticado por não adotar ações mais cedo para conter a disseminação e por deixar milhões de pessoas majoritariamente sem máscaras comparecerem a festivais religiosos e comícios políticos lotados em cinco Estados em março e abril.

No início de março, um fórum de conselheiros científicos criado pelo governo alertou autoridades indianas sobre uma nova variante mais contagiosa do coronavírus se espalhando pelo país, disseram à Reuters cinco cientistas que integram o fórum.

Apesar do alerta, quatro dos cientistas disseram que o governo federal não buscou impor grandes restrições para deter a proliferação do vírus.

(Por Shilpa Jamkhandikar, Tanvi Mehta e Anuron Kumar Mitra)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH420F8-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.