Saúde

Indianos instalam rede no rio Ganges para pegar cadáveres de vítimas de Covid-19

O país sofre com o colapso no sistema funerário com a pandemia do novo coronavírus

Aline
Aline Taveira / Produtora com informações do Daily Mail
Indianos instalam rede no rio Ganges para pegar cadáveres de vítimas de Covid-19
A Índia sofre com uma crise humanitária (Foto: Reuters)

12 de maio de 2021 - 11:48 - Atualizado em 12 de maio de 2021 - 11:52

As autoridades indianas instalaram uma rede em todo o Ganges para capturar os cadáveres das vítimas de Covid-19, após dezenas de corpos terem aparecido nas margens do rio. A descoberta de 71 cadáveres no estado de Bihar alimentou o temor de que o vírus estivesse se alastrando sem ser visto no vasto interior rural da Índia, onde dois terços da população vive.

Segundo o Daily Mail, os corpos infectados surgiram no rio ao longo da fronteira dos estados do norte de Uttar Pradesh e Bihar, por onde passa o Ganges. Os moradores disseram à Agência de Notícias da França que os parentes jogavam os corpos no rio porque não podiam comprar madeira para as cremações hindus tradicionais ou porque os crematórios estavam sobrecarregados com o número de funerais.

O ministro de recursos hídricos de Bihar, Sanjay Kumar, disse no Twitter na quarta-feira que uma ‘rede foi colocada’ no rio na fronteira do estado com Uttar Pradesh e o patrulhamento aumentou. Ele disse que o empobrecido governo do estado estava “magoado tanto com a tragédia quanto com os danos ao rio Ganges”.

Kumar acrescentou que as autópsias confirmaram que os cadáveres estavam mortos há quatro a cinco dias. Reportagens da imprensa local afirmam que 25 corpos também foram recuperados no distrito de Gahmar, no estado de Uttar Pradesh.

O jornal Hindu citou um oficial da polícia local dizendo que havia longas filas nos locais de cremação no estado do norte.

‘É possível  alguns se desfizessem dos corpos no rio dessa maneira (jogando-os no rio)’, Hitendra Krishna disse.

O número de mortos oficial da Covid-19 na Índia ultrapassou 250.000 nesta quarta-feira (12), mas muitos especialistas acreditam que o número real é várias vezes maior.

Um vídeo que supostamente mostra corpos jogados na água por motoristas de ambulância foi amplamente compartilhado nas redes sociais e divulgado por meios de comunicação locais.

As pessoas reagiram com horror à filmagem, em parte por medo de que parentes não pudessem realizar os rituais funerários sagrados de seus entes queridos. Bihar e Uttar Pradesh são dois dos estados mais pobres da Índia e abrigam cerca de 370 milhões de pessoas.

A administração local acredita que os mortos eram pacientes de Covid-19 e os moradores locais ficaram com medo de que a doença pudesse se espalhar ainda mais depois que cães foram vistos andando perto dos corpos.

Desde o início da pandemia, a Índia registrou mais de 22,6 milhões de infecções e mais de 246.000 mortes – ambos, dizem os especialistas, quase certamente contados a menos.