Internacionais

Vídeo mostra imigrante morto em prisão após atendimento negligenciado

Carlos Gregorio Hernandez Vasquez foi encontrado morto, com uma poça de sangue em volta de sua cabeça

Renata
Renata Nicolli Nasrala / Editora

7 de dezembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 7 de dezembro de 2019 - 00:00

Um vídeo publicado pela ProPublica mostra um imigrante de 16 anos morto em uma prisão do Texas, nos Estados Unidos (EUA). O guatemalteco Carlos Gregorio Hernandez Vasquez morreu no dia 19 de maio logo depois de ter atendimento médico negligenciado.

De acordo com a ProPublica, os policiais apenas se deram conta da morte do jovem após o companheiro da cela do rapaz avisar a polícia.

Veja o que aconteceu com imigrante morto em prisão, no Texas

Nas imagens, Gregorio aparece em uma cela inquieto, deitado em um banco de concreto, e em seguida no chão. Logo depois, o jovem aparece próximo ao banheiro.

Pouco antes de sua morte, uma enfermeira diagnosticou o jovem com febre alta em um centro de triagem de imigrantes.

Em seguida, as autoridades o isolaram em uma cela de quarentena para evitar risco de contaminação. Contudo, ele passou quatro horas se contorcendo sem qualquer tipo de atendimento no local.

Adolescente foi descoberto morto pela manhã

Conforme a versão oficial, a saúde do adolescente teria sido verificada por agentes no plantão, e ele teria sido descoberto morto pela manhã. A versão divulgada pela assessoria de imprensa descreveu a morte do jovem diferente da mostrada nos vídeos.

O guatemalteco estava preso há seis dias em McAllen quando relatou se sentir mal fisicamente, com dor de cabeça e febre de 39,5 ºC. De acordo com a ProPublica, os testes mostraram que ele tinha gripe tipo A e febre alta.

A enfermeira Irasema Gonzalez receitou ibuprofeno e Tylenol e encomendou o Tamiflu, que é um tratamento padrão para os sintomas da gripe.

O relatório do tratamento da enfermeira Gonzalez também disse que Carlos deveria “retornar ao consultório médico em duas horas ou mais cedo”, e deveria ser levado para uma sala de emergência se seus sintomas persistissem ou piorassem.

Apesar do recomendado pela enfermeira, não há registro de tratamento médico adicional nas próximas 19 horas.

Carlos Gregorio Hernandez Vasquez foi encontrado morto, com uma poça de sangue em volta de sua cabeça.