Notícias

Imagens comprovam que empresário mentiu em relação a morte de funcionário

Crime aconteceu no dia 1º de julho; após a discussão entre funcionário e empresário na cidade de Marechal Cândido Rondon

Aline
Aline Cristina / Repórter
Imagens comprovam que empresário mentiu em relação a morte de funcionário
(Foto: reprodução)

16 de julho de 2021 - 11:19 - Atualizado em 16 de julho de 2021 - 11:37

A Polícia Civil de Marechal Cândido Rondon cumpriu mandado de prisão contra o empresário que matou um funcionário no dia primeiro de julho, após uma discussão em uma residência. A prisão foi realizada após a investigação apontar que a versão apresentada pelo empresário era contraditória a apresentada no dia crime.

Imagens de câmeras de segurança resgatadas pela polícia mostram toda a ação que resultou na morte de Liomar Mendes de Souza, de 37 anos. A versão apresentada pelo empresário no dia do crime era que ele havia agido em legítima defesa, no entanto as imagens mostram outra situação.

As câmeras registraram a discussão que começou no portão da casa e logo em seguida os disparos de arma de fogo. O empresário se afasta, puxa a arma e dispara contra Liomar. ele sai em direção a rua e continua tirando no homem.

Após cometer o crime, ele volta para dentro da residência, e com o auxílio de uma tesoura se corta e corta as roupas, para representar que havia sido agredido, como explica o delegado responsável pelo caso, Rodrigo Baptista.

“ Nós conseguimos comprovar que a versão apresentada pelo autor , que teria sido agredido e que teria agido em legítima defesa. As imagens demonstraram claramente que ele atira duas vezes contra a vítima e no final usa da tesoura para se cortar e cortar a roupa alegando que foi agredido.

delegado responsável pelo caso, Rodrigo Baptista

Diante das evidências levantadas pela polícia, foi expedido um mandado de prisão que foi cumprido na tarde de quinta-feira (15). O inquérito foi concluído e encaminhado para a justiça. O acusado deve responder pelos crimes de homicídio qualificado e fraude processual.

O crime

Após efetuar os disparos, o empresário fugiu, mas pouco tempo depois se entregou à polícia.

A vítima foi atendida pelas equipes de socorro e encaminhada para casa hospitalar em estado grave, mas morreu devido aos ferimentos.

O empresário também precisou de atendimento médico, ele apresentava ferimentos pelo corpo, que após a investigação foi constatado que foram realizados pelo próprio homem.

A arma utilizada no crime, uma pistola calibre 380 foi apreendida pela polícia. O armamento é registrado.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.