Coronavírus

Igrejas de Toledo poderão reabrir um dia após recorde de mortes por coronavírus no país

Segundo o decreto da Prefeitura Municipal, os templos da cidade do oeste do Paraná deverão seguir uma série de restrições sanitárias

Caroline
Caroline Berticelli / Editora com reportagem da RIC Record TV, Oeste
Igrejas de Toledo poderão reabrir um dia após recorde de mortes por coronavírus no país
Foto: Reprodução/Guitoledo/Wikimedia Commons

7 de maio de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 16:27

Um dias após o Brasil registrar o maior número de mortes e de infectados por coronavírus no país, foram 615 óbitos e 10.503 casos novos confirmados de Covid-19 em 24h, a Prefeitura Municipal de Toledo, no oeste do Paraná, publicou nesta quinta-feira (7) um decreto que permite que as igrejas voltem a funcionar para a realização de missas, cultos, celebrações, e reuniões litúrgicas

Reabertura de Igrejas em Toledo tem restrições

Segundo o documento, a determinação passa a valer a partir da data de sua publicação e a reabertura das igrejas exigirá uma série de medidas sanitárias. Entre elas, a proibição de que idosos, crianças de até 12 anos e doentes com doenças crônicas participem, as celebrações devem durar no máximo uma hora, templos devem funcionar com no máximo 50% de sua capacidade e participantes deverão usar máscaras de proteção respeitando sempre o distanciamento de 2 metros. Além disso, padres e sacerdotes devem higienizar as mãos antes da entrega da hóstia ou de pão e vinho e os templos precisam oferecer álcool em gel aos participantes.

O decreto foi expedido depois que a Associação de Ministros Evangélicos (AME Toledo) liderou no último domingo (3) várias manifestações, que contaram com a participação de fiéis e líderes, pela reabertura das igrejas

Coronavírus no Paraná

De acordo com o boletim da Secretaria de Saúde do Paraná, divulgado nesta quarta-feira (6), o Estado tem, ao todo, 1.627 casos confirmados de coronavírus e 101 mortes causadas pela doença

Em Toledo, o número seria de dois casos de Covid-19 confirmados, dois recuperados e nenhum óbito. Já Cascavel, cidade vizinha, possui pelo menos 86 casos confirmados, 69 recuperados e 4 mortes causadas pelo novo coronavírus

Subnotificação de casos no Brasil

É interessante levar em conta os dados do InfoGripe, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que apontam que desde março de 2020, o número de internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Paraná é aproximadamente três vezes maior se comparado com o mesmo período dos anos de 2019, 2018 e 2017

Uma das principais preocupações de cientistas e pesquisadores é a subnotificação de casos e óbitos que existem dentro do Brasil, ocasionada pela falta de realização de testes em massa. A incerteza sobre os dados da Covid-10 no país foi admitida pelo próprio ministro da Saúde Nelson Teich, no dia 29 de abril.

Conforme um modelo, feito por pesquisadores de grandes universidades do país, entre elas a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o número de infectados no Brasil seria maior do que 15 vezes ao que temos registrado oficialmente, ou seja, até o fim de março, o país já teria mais de um milhão de casos de coronavírus. Se tornando assim, um novo epicentro da doença no mundo e seguindo o mesmo caminho dos EUA. 

Também no fim de março, o renomado Imperial College London, da Inglaterra, expressou sua preocupação com relação ao Brasil. Segundo estudos realizados por seus pesquisadores, os quais têm servido de base para projeções da pandemia em todos os países do globo, a situação por aqui não é boa devido ao número de pessoas que cada doente infecta. Entre todos os países pesquisados, o Brasil está com o maior crescimento de todos, onde cada pessoa com Covid-19 infecta entre duas e três pessoas.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.