Notícias

Filha de idosa encontrada enterrada suspeita do ex-marido “Chamava minha mãe de velha safada, língua grande”

Mulher de 68 anos estava desaparecida há 10 dias e foi encontrada enterrada no quintal de casa

Guilherme
Guilherme Becker / Editor

14 de outubro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 14 de outubro de 2019 - 00:00

As duas filhas de Graciete Maria Sanches da Silva, de 68 anos, que foi encontrada enterrada no quintal de casa, conversaram nesta segunda-feira com a Record TV. As mulheres, que estão bastante abaladas, relembraram de como era a mãe e uma delas comentou sobre uma suspeita do ex-marido ter participação no crime.

Daisy Sanches morava com a mãe e seu filho. Entretanto, no dia que Graciete desapareceu, seu ex-marido estava na casa cuidando do pequeno. A mulher então desconfia que ele possa estar envolvido na morte.

Família aponta ex-genro como suspeito

“Meu ex-marido sempre teve desavença com meus pais, o relacionamento nunca foi bom. De um tempo para cá, depois que perdemos nosso filho mais velho, piorou a situação. Ele entrou em estado de depressão e começou a atacar mais minha mãe. A ponto da minha mãe ter que se mudar, ele sempre coagiu minha mãe. Chamava minha mãe de velha safada, língua grande”, declarou a filha Daisy.

Após término do relacionamento, que durou 20 anos, Daisy tinha voltado a morar com a mãe há dois meses. Entretanto, o homem frequentava o local para visitar o filho. No dia do crime, Graciete deixou o neto em casa com o ex-genro enquanto foi ao culto, já que Daisy não estava na residência.

Após retornar para casa, no dia 1º de outubro, Graciete nunca mais foi vista e seu corpo foi encontrado enterrado no quintal de casa 10 dias depois.

desaparecida encontrada quintal

Graciete não foi mais vista após sair do culto (FOTO: REPRODUÇÃO/ RECORD TV)

“Sensação de impunidade”, diz filha

Após localizarem a mulher desaparecida, agora a Polícia Civil inicia uma nova investigação para descobrir como o crime aconteceu e quem são as pessoas envolvidas. No início, familiares chegaram a imaginar que Daisy tivesse tido um problema de memória e se perdido na volta para casa, porém, relatórios do RioCard comprovaram que Graciete pegou o ônibus que tem um ponto próximo a sua casa.

“Pensamos que ela tivesse tido um lapso de memória. Quando começamos a puxar o relatório do RioCard percebemos que ela tinha passado no ônibus que deixaria ela no ponto de casa. Só teremos um pouco de paz quando colocarmos o autor do crime atrás das grades”, desabafou Daisy.

Filha revela que gostaria que mãe se mudasse para casa dela

Ao lembrar da mãe, a filha Geisa Sanches não consegue segurar a emoção. A mulher conta que já havia chamado a mãe para morar junto com ela, pois o local onde Graciete morava era mais afastado e tinha pouca vizinhança.

Apesar dos pedidos de Geisa, a idosa não quis deixar a casa, principalmente por medo de pessoas invadirem o local. 

“Minha mãe era uma Graça mesmo, como dia o nome dela. Muito simpática doce, com todas as pessoas. Todas as pessoas que perguntam por ela dizem ‘Dona Graça era uma pessoa tão doce, como pode ter acontecido isso’. Minha mãe é uma pessoa pacata, simples também. Não tinha luxo, gostava de ir a igreja, vinha para casa”, relembrou Geisa.

idosa encontrada enterrada

Graciete morava com a filha Daisy e um neto (FOTO: REPRODUÇÃO/ RECORD TV)

Exame de DNA deve comprovar identidade

Apesar das filhas terem identificado pertences da mãe no corpo que foi encontrado enterrado no quintal da casa de Graciete, o exame de DNA deve comprovar a identidade da vítima. Devido ao estado de decomposição do corpo, não foi possível realizar a identificação por meio das digitais.

“Nós reconhecemos os pertences da minha mãe, como relógio, anel, um lencinho da igreja que ela usava por baixo da roupa. Infelizmente devido ao estado de decomposição do corpo, não foi possível a gente reconhecer pelas digitais e vamos ter que esperar para comprovar pelo exame de DNA que é realmente a minha mãe”, contou Daisy.

Após todos exames necessários, o enterro de Graciete será realizado nesta terça-feira (15).

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.