Notícias

Ibovespa sobe pela 3ª sessão; Petrobras em alta após fala de Bolsonaro

Reuters
Reuters

6 de dezembro de 2021 - 12:17 - Atualizado em 6 de dezembro de 2021 - 12:17

SÃO PAULO (Reuters) – O Ibovespa subia nesta segunda-feira, rumo à terceira alta consecutiva com a manutenção de clima positivo local, após o índice ter testado o patamar dos 100 mil pontos na semana passada. Papéis da Petrobras centram as atenções, na sequência de fala do presidente Jair Bolsonaro sobre combustíveis.

O mercado segue atento à decisão de taxa de juros no Brasil nesta semana, e para a reunião de política monetária nos EUA na semana que vem, além de atualizações sobre a variante Ômicron.

Às 12:16, o Ibovespa subia 2,19%, a 107.366 pontos. O volume financeiro da sessão era de 7,4 bilhões de reais.

O otimismo seguia após a aprovação da PEC dos Precatórios no Senado na última quinta-feira, ainda que sem definição sobre a promulgação de partes aprovadas pelas duas Casas do Congresso. Trechos do texto foram modificados no Senado e terão, separados ou com a PEC na íntegra, de voltar à Câmara dos Deputados.

O mercado aguarda a decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), com expectativa de economistas em pesquisa Reuters de nova lata na Selic -atualmente em 7,75% ao ano- em 1,50 ponto percentual. Na semana seguinte, os membros do Federal Reserve, nos EUA, se reúnem, em meio à perspectiva de uma aceleração do ritmo da retirada de compras de títulos pelo banco-central norte americano.

Lucas Monteiro, trader de multimercados da Quantitas, diz que começa a se criar para o Ibovespa “um ambiente onde, talvez, a gente esteja começando a enxergar uma virada de movimento, onde aquela tendência de queda que vinha desde julho e agosto, esteja começando a mudar”.

Segundo Monteiro, a pressão sobre o Ibovespa tem refletido receios especialmente sobre a questão fiscal, mas “talvez tenha ido um pouco além do que os fundamentos mostravam.” Na semana passada, o índice renovou a mínima intradiária do ano e por pouco não rompeu a casa dos 100 mil pontos em 30 de novembro.

Ajudam também notícias de que a variante Ômicron do coronavírus tem mostrado sintomas de menor gravidade, segundo relatos na África do Sul, onde ela foi encontrada inicialmente.

Em Nova York, o S&P 500 e o Dow Jones abriram em alta, mas o Nasdaq, de empresas de tecnologia, cedia.

DESTAQUES

– PETROBRAS PN subia 1% e ON avançava 0,9%, após o presidente Jair Bolsonaro afirmar, em entrevista ao Poder360, que a empresa deve nesta semana a anunciar redução no preço de combustíveis. A estatal disse que não antecipa decisões de reajustes. O petróleo sobe com a leitura de que Ômicron pode impactar menos a economia se os sintomas da variante se provarem não tão graves.

– CCR ON subiu até quase 8%, para o maior patamar intradiário desde julho, após coluna do Lauro Jardim, no Globo, dizer que gestora canadense de fundos de pensão CDPQ tem interesse na fatia da companhia detida pela Andrade Gutierrez.

– BRF ON disparava 5,7%, enquanto JBS ON subia 1% e MARFRIG ON avançava 1,8%. As três ações caíram na sexta, após relatório do Bradesco BBI rebaixando a recomendação para os dois papéis.

– MÉLIUZ ON afundava 8%, após subir mais de 30% na sexta-feira na esteira de divulgação de dados da Black Friday. No setor de tecnologia LOCAWEB ON subia 0,2% e TOTVS ON cedia 0,6%. BANCO INTER UNIT avançava 2,8%.

– EMBRAER ON subia 4%, depois de anunciar dois acordos com empresas da Austrália que somam 60 encomendas de aeronaves elétricas de pouso e decolagem verticais (eVtol) feitas para a subsidiária Eve Urban.

– BRASKEM PN avançavando 7% e REDE D’OR ON caindo 1,7% também estavam em destaque.

(Por Andre Romani)