Notícias

HU de Londrina se manifesta após polêmica sobre redução de salários em novo chamamento público

Com os descontos do INSS, os trabalhadores passariam a receber R$0,57 a menos por hora trabalhada do que o último contrato

Bruna
Bruna Melo / Repórter
HU de Londrina se manifesta após polêmica sobre redução de salários em novo chamamento público
Foto: Rafael Machado

12 de julho de 2021 - 18:30 - Atualizado em 12 de julho de 2021 - 19:02

Na tarde desta segunda-feira (12), funcionários do Hospital Universitário (HU) de Londrina se reuniram para protestar contra a redução salarial prevista no chamamento público de 2021. Com os descontos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), os trabalhadores passariam a receber R$0,57 a menos por hora trabalhada do que o último contrato. O HU se manifestou por meio de nota sobre a polêmica.

Para entender melhor o cenário, o técnico de enfermagem Elton Stecca explica a redução. No chamamento público de 2017, os funcionários recebiam R$14,93/hora, o que com os descontos de INSS resultavam em R$11,94/hora. Em 2020, o salário é de R$15,22/hora, com desconto totalizando em R$12,17/hora. Entretanto, no novo chamamento, contratados receberão R$11,60/hora, descontando em cima de R$14,51/hora.

Stecca ressalta que servidores contratados a partir do chamamento público não possuem benefícios como vale alimentação e transporte. Na atualização, o acréscimo de R$3,04/hora para funcionário noturnos também deixa de existir.

Sobre a redução, o HU publicou um documento explicando os motivos. Entre as justificativas está o aumento de 55% de leitos vinculados ao Sistema Único de Saúde (SUS). “O HU-UEL possui atualmente mais de 762 vagas em aberto, totalizando cerca de 127.507 horas mensais de trabalho a menos disponibilizados, o que pressupõe afirmar que o Hospital já atua com força de trabalho muito menor do que o necessário e, com a vigência da Pandemia, tal quadro agravou-se, inclusive com a situação de trabalhadores adoecidos em razão da gravidade da doença”, argumenta.

O hospital também pondera que o valor publicado para a hora trabalhada foi previsto por meio de “pesquisa de mercado realizada entre os hospitais da cidade e região“. A diretoria superintendente se mostra favorável ao Projeto de Lei Nº.2.564/2020, que institui o piso salarial nacional para enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e parteiras.

Nesta nota oficial, o HU fala especificamente sobre o chamamento de técnicos de enfermagem. Entretanto, Stecca afirma que a redução não afetará somente esta classe, incluindo também enfermeiros e fisioterapeutas. O profissional da saúde informa que os trabalhadores não foram comunicados sobre as mudanças e não participaram de discussões.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.