Coronavírus

Hospital Pequeno Príncipe confirma coronavírus em crianças atendidas por profissionais infectados

Lucas
Lucas Sarzi
Hospital Pequeno Príncipe confirma coronavírus em crianças atendidas por profissionais infectados
Apesar da confirmação, não dá para saber de onde as crianças contraíram o vírus. Foto: Divulgação.

6 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:48

Duas crianças que estavam internadas no Hospital Pequeno Príncipe foram testadas e estão com o novo coronavírus. Os pacientes, que têm 6 e 11 anos, passam bem e já tiveram alta. O teste neles se deu porque a instituição confirmou que teve 12 casos positivos entre os funcionários do hospital. Apesar disso, não é possível afirmar que as crianças tenham contraído a doença dos profissionais do hospital.

Conforme informou o Hospital Pequeno Príncipe, os casos das duas crianças foram detectados após teste realizado no fim de semana. “Os pacientes estavam assintomáticos, com exames complementares normais e tinham alta prevista para o sábado (4), quando deixaram a instituição”, disse a nota.

Apesar disso, como o hospital identificou casos positivos entre os colaboradores da unidade na qual as crianças estavam internadas, agiu de forma preventiva. “Testou todos os quatro pacientes que tiveram contato com tais profissionais. Dois deles apontaram resultado positivo”, explicou o Hospital Pequeno Príncipe.

As duas crianças, porém, estão bem. Eles continuam em casa e vão ser acompanhados à distância pelas equipes da instituição, recebendo todos os cuidados necessários.

Funcionários contaminados

A testagem dos profissionais, conforme informou o hospital, faz parte de uma série de medidas preventivas que estão sendo tomadas desde janeiro para o enfrentamento do novo coronavírus. Desde então, a instituição já realizou mais de 100 testes em seus profissionais, e teve 12 casos positivos – sendo seis deles na área administrativa, em um prédio que fica fora da unidade hospitalar. “Todos os colaboradores foram afastados das suas funções”, advertiu o hospital.

Como a disseminação do novo coronavírus está na fase comunitária, é impossível dizer se as crianças que testaram positivo contraíram a doença dos profissionais ou de outras pessoas. “Como elas têm contato também com seus familiares, que utilizam espaços públicos, torna-se impossível precisar a origem da contaminação”, explicou a nota do hospital.

Ações internas

Ciente da missão com a saúde infantil, o Hospital Pequeno Príncipe informou que “tem agido com responsabilidade” e já fez mais de 70 treinamentos, atingindo cerca de mil pessoas, de diversas áreas, da recepção à equipe médica. De forma interna, o hospital também criou um hotsite exclusivo com todas as orientações aos profissionais, revisou protocolos e mantém controle diário dos seus estoques de equipamentos de proteção individual (EPIs), focando no uso consciente e racional, conforme indicações estabelecidas pelo Ministério da Saúde.